Última hora
This content is not available in your region

Nissan mantém a produção no Reino Unido

euronews_icons_loading
Nissan mantém a produção no Reino Unido
Direitos de autor  AP Photo/David Zalubowski
Tamanho do texto Aa Aa

A Nissan está a encerrar fábricas em Espanha e na Indonésia, a abandonar o mercado sul-coreano e a retirar a sua marca Datsun da Rússia, como parte de uma estratégia revelada após as primeiras perdas numa década.

A fábrica de Barcelona emprega directamente cerca de 3.000 trabalhadores e cerca de 20.000 outros serão afetados na indústria transformadora, segundo o governo espanhol.

O presidente da Nissan, Makoto Uchida, diz que "foram exploradas todas as possibilidades para a fábrica de Barcelona, mas foi tomada a difícil decisão de prosseguir com as conversações e os preparativos para o seu encerramento".

Os anúncios vêm um dia depois da aliança Nissan-Renault-Mitsubishi anunciar uma nova estratégia com menos modelos, partilha de instalações de produção e aposta nos pontos fortes geográficos e tecnológicos de cada uma das marcas.

Jean-Dominique Senard, presidente do Conselho de Operações da Aliança, justifica: "Actualmente maximizamos o complemento geográfico para cobrir os principais mercados automóveis a nível mundial. A principal área da Nissan é : Japão, China, América do Norte; da Renault: Europa, Rússia, América Latina e Norte de África; da Mitsubishi: Sudeste Asiático e Oceânia".

A Nissan não vai, no entanto, encerrar toda a produção europeia. Makoto Uchida anunciou a manutenção da fábrica britânica de Sunderland, que fabrica os principais modelos.

A fábrica, a maior unidade de produção de automóveis do Reino Unido, emprega cerca de 7.000 pessoas e passará a ser o centro de produção da marca na Europa.