Última hora
This content is not available in your region

Grupo Renault-Nissan-Mitsubishi enfrenta protestos

euronews_icons_loading
Grupo Renault-Nissan-Mitsubishi enfrenta protestos
Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas, num movimento de protesto em frente à fábrica da Renault em Maubeuge, no norte de França. Estão contra a decisão da empresa de cortar 15.000 empregos em todo o mundo - 4.600 deste postos de trabalho em território francês.

A marcha começou às 10 da manhã deste sábado e percorreu cerca de 6Km até à câmara municipal da cidade. A fábrica emprega, aproximadamente, 2.100 pessoas em vários departamentos e está encerrada desde a passada sexta-feira.

O grupo Renault-Nissan-Mitsubishi anunciou uma nova estratégia para reduzir custos, numa altura em que a aliança enfrente dificuldades devido à crise provocada pela Pandemia.

Em Espanha, Nissan também está a cortar postos de trabalho e as manifestações fizeram-se sentir em Barcelona. Mais de mil trabalhadores saíram às ruas numa forma de protesto contra a notícia.

A decisão da empresa japonesa de fechar a fábrica da cidade, com 3.000 trabalhadores a partir de dezembro faz parte dos cortes de custos globais. Apesar do grande processo de reestruturação, a Renault pretende permanecer na Fórmula 1. O fabricante de automóveis francês prevê suprimir mais de 10% dos efetivos, até 2024.