Última hora
This content is not available in your region

O Judo e a importância da Humildade

euronews_icons_loading
euronews
euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Tal como na vida, também no judo há derrota. Aceitar quando se perde e respeitar o adversário, mesmo que ele seja o último classificado, é uma aprendizagem só possível de ser feita com humildade. Teddy Riner, Martyna Trajdos e Idalys Ortiz contam como este valor fundamental do judo os torna em verdadeiros campeões.

Muita coisa pode acontecer no tapete; o judoca mais bem classificado a nível mundial pode perder para um adversário no centésimo lugar. A humildade é muito importante em momentos como esse, porque nos ensina a nunca subestimar nenhum adversário
Martyna Trajdos
Judoca

Teddy Riner (França)

É o judoca de maior sucesso de sempre no planeta. Foi bicampeão olímpico em 2012 e 2016. Bateu o recorde ao conquistar dez títulos mundiais. Ganhou cinco títulos europeus. Foi duplo campeão do mundo de juniores, atleta do ano e homenageado em todo o mundo. Ganhou o Grand Slam, em Brasília, em 2019. O “Big Teddy”, como é conhecido, tem 2,05m e estava invicto desde 2010, até, em fevereiro deste ano, ter conhecido a primeira derrota em 155 competições.

Martyna Trajdos (Alemanha)

Trajdos conquistou mais de 25 medalhas do Campeonato do Mundo. A judoca alemã conquistou o bronze no Campeonato do Mundo de Tóquio e e uma medalha de ouro no Grande Prémio em Hohhot, em 2019. Ganhou o bronze no Campeonato da Europa, em Tel Aviv, em 2018, e o Grand Slam, em Ekaterinburg, em 2017. No mesmo ano conquistou a prata no Grand Prix em Düsseldorf. Venceu os Jogos Europeus em Baku U63, onde foi porta-estandarte na cerimónia de encerramento. Ganhou o Grand Slam, em Tóquio, em 2015.

Idalys Ortiz (Cuba)

Tornou-se campeã olímpica em Londres, em 2012, e ganhou a medalha de prata em 2016, no Rio de Janeiro. Ortiz já havia conquistado o bronze olímpico em 2008, em Pequim. Foi Campeã do Mundo, em 2013 e 2014. Em 2019 e 2018 ganhou a prata e em 2015 ganhou o bronze mundial em Astana. Ganhou vários Campeonatos e Jogos do Panamá e conquistou a medalha de ouro no Grand Slam em Paris e Düsseldorf, em 2019. Ganhou o Grand Prix em Budapeste e Hohhot, em 2019, e o seu primeiro Grand Slam de ouro em Osaka, em 2018.