Última hora
This content is not available in your region

Covid-19: Brasil ultrapassa os 60 mil mortos e Portugal volta a aumentar o número de casos

Indígenas brasileiros fazem o teste à covid-19
Indígenas brasileiros fazem o teste à covid-19   -   Direitos de autor  Joedson Alves/EPA
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia já infetou mais de 10,5 milhões de pessoas em pelo menos 188 países, à data de hoje.

De acordo com a Universidade Johns Hopkins, este novo coronavírus estará ligado a mais de 511 mil mortos. Pelo menos 5,3 milhões de pessoas já recuperaram da doença provocada pelo SARS-CoV-2.

Acompanhe aqui as últimas notícias:

21h02 (CET) Número de mortes em Angola sobe para 15

Angola registou duas mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas e soma agora um total de 15 óbitos desde o início da pandemia. O secretário de Estado para a Saúde Pública, Franco Mufinda, anunciou ainda que se tinham identificado mais sete casos da doença no país. Angola soma agora 291 infetados pelo novo coronavírus desde o aparecimento do surto no país, dos quais 93 já recuperaram e 178 continuam ativos.

20h50 (CET) França contabiliza 18 mortes nas últimas 24 horas

A França contabilizou 18 mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, número que eleva o total de óbitos desde o início da pandemia para 29.831. O comunicado das autoridades francesas destaca a diminuição no número de pessoas internadas nas unidades de cuidados intensivos, são atualmente 582, menos 20 do que no dia anterior.

19h25 (CET) TAP realiza três voos especiais na rota Luanda-Lisboa

A TAP vai realizar mais três voos especiais na rota Luanda-Lisboa, nos dias 03, 08 e 10 de julho, segundo informação disponível na página do consulado de Portugal em Luanda.

Os passageiros estão dispensados do comprovativo de teste ao novo coronavírus, que passou a ser obrigatório para quem viaje a partir de países de expressão portuguesa (no caso do Brasil, do Rio de Janeiro e São Paulo) e dos Estados Unidos da América, segundo um despacho de terça-feira que estipula as novas medidas aplicadas ao tráfego aéreo com destino e a partir de Portugal.

18h55 (CET) Brasil ultrapassa os 60 mil mortos

Quatro meses depois da covid-19 ter chegado ao Brasil, o país ultrapassou a impressionante marca dos 60 mil mortos. O balanço do consórcio de veículos de imprensa aponta para 60 194 óbitos associados à doença e mais de 1,4 milhões de casos confirmados.

18h27 (CET) 182 novos casos e 21 mortes nas últimas 24 horas em Itália

O balanço publicado esta quarta-feira pela Proteção Civil italiana dá conta de 182 novos casos de covid-19 no país, a maioria (109) na região da Lombardia. Desde o início do surto no país, a 21 de fevereiro, registaram-se já 240 760 casos confirmados da doença. O boletim indica ainda que morreram 21 pessoas nas últimas 24 horas, elevando a contagem total para 34 788 óbitos associados à covid-19. Destaque ainda para as 190 717 pessoas que conseguiram ultrapassar a doença em Itália.

17h47 (CET) Situação piora no Reino Unido

Morreram 176 pessoas infetadas pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas no Reino Unido, um aumento de 21 óbitos relativamente aos números anunciados na véspera pelo Ministério da Saúde britânico. No número de casos confirmados, também se verificou um aumento. O derradeiro boletim dá conta de 829 resultados positivos no total de 226 398 testes efetuados. No dia anterior tinham sido identificados 689 casos da doença. Desde o início do surto no país já 313 483 pessoas contraíram covid-19, das quais 43 906 acabaram por falecer.

17h26 (CET) Moçambique aproxima-se dos mil casos

Moçambique aproxima-se dos mil casos de covid-19 depois de ter registado 14 novas infeções nas últimas 24 horas. O total no país é agora de 903 casos positivos, os óbitos mantêm-se nos seis.

A nota de imprensa do Ministério da Saúde revela ainda que "Os casos hoje reportados encontram-se em isolamento domiciliar", acrescentando que decorre o processo de mapeamento dos seus contactos".

As novas infeções estão distribuídas entre as províncias de Maputo (3), Nampula (6), Zambézia (3), Sofala (1) e Cidade de Maputo (1).

16h54 (CET) Portugal tem 313 novos casos de covid-19

Portugal regista 313 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, 70% dos quais foram identificados na região de Lisboa e Vale do Tejo. A última atualização da Direção-Geral da Saúde dá ainda conta de três novos óbitos associados à doença. O total de mortes desde o início do surto é agora de 1 789.

De destacar ainda a existência de 293 recuperados, um aumento de 1,7% face aos números divulgados na terça-feira.

16h49 (CET) Suíça torna o uso de máscara obrigatório nos transportes públicos

O uso de máscara será obrigatório nos transportes públicos da Suíça a partir da próxima semana. A medida do governo suíço tem por objetivo travar a recente subida no número de casos diários de covid-19. O país registou 137 novos casos da doença esta quarta-feira, o dobro do que tinha registado no dia anterior e quatro vezes mais do que o número verificado na segunda-feira.

16h35 (CET) Iraque supera os 50 mil casos de covid-19

O Iraque ultrapassou a fasquia dos 50 mil casos confirmados de covid-19. Os últimos dados revelados pelas autoridades apontam para a existência de 51 524 doentes, dos quais 2 415 foram identificados nas últimas 24 horas. O número de óbitos associados à doença é 2 050.

16h24 (CET) Setor do turismo perde 1 200 biliões de dólares

A Agência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento revelou que o setor do turismo perdeu pelo menos 1 200 biliões de dólares (cerca de 1 065 biliões de euros) durante os três meses que esteve paralisado pela pandemia de covid-19, o que equivale a 1,5% do Produto Global Bruto.

16h18 (CET) Cabo Verde regista 40 novos casos de covid-19

O Ministério da Saúde de Cabo Verde confirmou a existência de 40 novos casos de pessoas infetadas pelo novo coronavírus. As novas infeções foram verificadas nas ilhas de Santiago e do Sal, elevando o acumulado desde 19 de março a 1 267 casos no país.

Esta atualização mostra que o país tem atualmente 621 casos ativos, em isolamento, existindo ainda a lamentar 15 óbitos desde o início do surto. Mantém-se o registo de 629 casos dados como recuperados pelas autoridades de saúde cabo-verdianas.

Apenas as ilhas do Fogo e da Brava não diagnosticaram qualquer caso de covid-19 até ao momento no arquipélago.

15h34 (CET) Açores prolongam situação de calamidade pública em cinco ilhas

A situação de calamidade pública foi prolongada mais duas semanas nas ilhas açorianas de Santa Maria, São Miguel, Terceira, Pico e Faial. Quanto às restantes ilhas do arquipélago, Graciosa, São Jorge, Flores e Corvo, irão ficar em situação de alerta durante esse período de tempo.

A medida foi anunciada esta quarta-feira pelo Governo Regional dos Açores. A região tem um total de 152 casos confirmados de covid-19 desde o início da pandemia. Encontram-se atualmente ativos quatro casos positivos, três na ilha de São Miguel e um na ilha Terceira.

15h18 (CET) Israel bate recorde de casos diários

Israel bateu esta quarta-feira o recorde diário de pessoas infetadas pelo novo coronavírus desde o início da pandemia, 859 nas últimas 24 horas, de acordo com o Ministério da Saúde local.

É o número mais alto registado no país desde o início da pandemia, há mais de quatro meses, e surge depois de dois meses de relaxamento das medidas de combate ao vírus.

Na segunda-feira, o Governo israelita tinha já imposto novamente uma série de medidas que limitam a maioria das reuniões públicas a um máximo de 50 pessoas, no entanto continua a ignorar as recomendações de especialistas e até de funcionários da saúde para que sejam tomadas decisões drásticas para interromper a segunda onda do vírus no país.

14h40 (CET) Brasil prolonga proibição de entrada no país até final de julho

O Governo brasileiro prolongou a proibição da entrada de estrangeiros no país por mais 30 dias. A portaria que determina a medida foi publicada numa edição extra do Diário Oficial da União:

"Fica restringida, pelo prazo de 30 dias, a entrada no país de estrangeiros de qualquer nacionalidade, por rodovias, por outros meios terrestres, por via aérea ou por transporte aquaviário."

A medida tem por objetivo travar a epidemia de covid-19 no Brasil, o segundo país com mais casos da doença a nível mundial, atrás apenas dos Estados Unidos da América.

14h26 (CET) Parlamento português aprova proposta que recompensa profissionais da saúde

A Assembleia da República aprovou por unanimidade uma proposta que recompensa os trabalhadores do Serviço Nacional de Saúde pelo trabalho efetuado durante a pandemia de covid-19:

“Durante o ano de 2020, o Governo atribui a todos os profissionais do SNS que, na vigência do estado de emergência e suas renovações, exercessem funções em regime de trabalho subordinado no SNS e tenham praticado, nesse período, de forma continuada e relevante, atos diretamente relacionados com a pessoa de suspeitos e de doentes infetados por covid-19, um prémio de desempenho, pago uma única vez, correspondente ao valor equivalente a 50% da remuneração base mensal do trabalhador ao qual seja atribuído.”

Além do prémio de desempenho, foi ainda aprovada uma majoração dos dias de férias dos profissionais do setor da saúde.

14h11 (CET) Encerramento das fronteiras terrestres deu origem a 36 detenções

Os três meses e meio de fronteiras encerradas entre Portugal e Espanha deram origem a 36 detenções. De acordo com os dados revelados pelo Ministério da Administração Interna, foram controladas 882 958 pessoas, das quais 6 790 foram impedidas de entrar em Portugal. As fronteiras terrestres entre os dois países reabriram esta quarta-feira. Tinham sido encerradas a 16 de março para tentar travar a progressão do surto de covid-19.

13h55 (CET) Cruz Vermelha Internacional teme temporada de furacões na América Latina

Francesco Rocca admite que a pandemia de covid-19 na América Latina se pode complicar com a chegada da temporada de furacões e dengue nas Caraíbas. O italiano, presidente da Federação Internacional da Cruz Vermelha, sublinhou que a doença afeta especialmente as pessoas mais vulneráveis e que vivem em zonas com difícil acesso a água potável e a serviços sanitários.

12h30 (CET) Surto em clube russo obriga a adiar segundo jogo consecutivo

O surto de infeções com o novo coronavírus no FC Orenburg obrigou ao adiamento do jogo da equipa com o Ural, da 25.ª jornada da liga russa de futebol, agendado para hoje, anunciou a entidade organizadora da competição.

De acordo com a liga russa, a realização do encontro foi proibida pelas autoridades regionais de saúde da zona de Orenburg, depois de terem sido contabilizadas 10 pessoas infetadas com o vírus, responsável pela covid-19.

No sábado, o clube falhou o jogo frente ao Krasnodar, relativo à 24.ª jornada, por ter oito jogadores infetados, tendo-lhe sido atribuída a derrota por falta de comparência.

12h05 (CET) Insegurança alimentar agravada em Maputo e arredores

As medidas para mitigar a covid-19 em Moçambique estão a agravar a insegurança alimentar de várias famílias da capital, Maputo, e arredores, alertou hoje a Rede de Sistemas de Alerta Antecipado de Fome (rede Fews, sigla inglesa).

"As famílias mais pobres e vulneráveis enfrentam dificuldades para encontrar fontes alternativas de rendimento e apoio", sendo que "uma análise realizada pelo Secretariado Técnico de Segurança Alimentar e Nutrição (Setsan, entidade estatal) e parceiros estimou que aproximadamente 15% da população de Maputo e Matola (365.000 pessoas) estão a enfrentar um cenário de crise (fase 3 do IPC)"

11h55 (CET) Lisboa e Vale do Tejo tem apenas 28% dos médicos do SNS do país

A ministra da Saúde reconheceu hoje limitações na área da saúde pública na Região de Lisboa e Vale do Tejo, destacando que os médicos de saúde pública nesta região representam apenas 28% do todo nacional.

“A Região Norte representa 37%. Estamos atentos a estas assimetrias e procuraremos corrigi-la nos próximos concursos”, afirmou Marta Temido, em resposta a questões levantadas pelo deputado Moisés Ferreira (BE).

A governante reconheceu ainda, em resposta à deputada Paula Santos (PCP), a necessidade de alargar e reforçar a formação na área da saúde pública.

Segundo os dados avançados pela ministra, há 363 médicos de saúde publica no país, numa área que tem afetos 298 enfermeiros, cerca de 500 técnicos e cerca de 200 assistentes e assistentes técnicos operacionais.

11h45 (CET) Alemanha soma mais 466 infeções e 12 mortes

A Alemanha registou mais 466 novos casos de covid-19 num só dia, elevando o número total de infeções registadas desde o início da pandemia para 194.725, segundo os dados oficiais de hoje.

A taxa de contágio passou de 0,74 para 0,83, mantendo-se abaixo do valor 1 considerado crítico.

O Instituto Robert Koch registou ainda mais 12 vítimas mortais, elevando o total para 8.985 óbitos.

11h30 (CET) Transportes públicos sem ligação às novas infeções de Lisboa, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou hoje que os transportes públicos não estão associados a nenhum dos novos casos de infeção na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT).

“Os transportes públicos não estão associados a nenhum dos novos casos de infeção”, afirmou Marta Temido na comissão parlamentar da Saúde, onde está hoje a ser ouvida.

11h15 (CET) Rússia volta a somar mais de 6.000 infeções ao quadro da epidemia

A equipa de crise anticoronavírus revelou hoje a soma de mais 6.556 infeções na Rússia, onde há agora o total de casos é de 654.405. As autoridades russas salientam tratar-se do sexto dia consecutivo a somar menos de 7 mil casos.

O número de mortes acrescentou mais 216 fatalidades ao quadro da epidemia, com o total a chegar aos 9.536 óbitos.

11h00 (CET) Turquia pede à UE para corrigir "o erro" de a excluir da lista segura

A Turquia pediu à União Europeia para corrigir "o erro" de a ter excluído da lista segura de países parceiros de viagem.

Da lista segura europeia fazem parte Austrália e Marrocos, mas não os EUA, o Brasil e a Rússia, além da Turquia. "A ausência é desapontante", afirmou Hami Aksoy, o porta-voz do ministro turco dos Negócios Estrangeiros, desejando "ver este erro corrigido tão breve quanto possível".

10h55 (CET) Turismo em Cabo Verde recua a níveis de 2009

A procura turística em Cabo Verde deverá recuar este ano a níveis de 2009, devido à pandemia de covid-19, com a perda de 536 mil turistas face à previsão inicial do Governo.

A previsão consta de um documento de suporte à proposta do Orçamento Retificativo para 2020 apresentada na terça-feira à Assembleia Nacional pelo Governo cabo-verdiano, que aponta para uma quebra de 58,8% na procura turística, face aos 819 mil turistas que o arquipélago recebeu em 2019.

No Orçamento do Estado para 2020, aprovado em dezembro, o Governo estimava um crescimento da procura turística de 6,6%, aproximando-se da meta anual de um milhão de turistas, depois de um crescimento de 7% em 2019.

10h50 (CET) Menos 900 consultas e 85 mil cirurgias em Portugal até maio

Os hospitais fizeram até maio menos 902 mil consultas e menos 85.000 cirurgias relativamente ao período homólogo, revelou a ministra da Saúde, que hoje está a ser ouvida na Assembleia da República.

No início da audição na Comissão Parlamentar de Saúde, Marta Temido lembrou que, das 902 mil consultas hospitalares a menos, 371 mil eram primeiras consultas e sublinhou a necessidade de recuperar a atividade assistencial suspensa pela pandemia de covid-19.

10h40 (CET) Pandemia ameaça cortar quase 20 mil empregos em Cabo Verde

A crise económica provocada pela pandemia de covid-19 deverá levar à perda de 19.800 empregos em Cabo Verde este ano, com a taxa de desemprego a disparar para perto de 20%, prevê o Governo.

A previsão consta de um documento de suporte à proposta do Orçamento Retificativo para 2020 apresentada na terça-feira à Assembleia Nacional pelo Governo cabo-verdiano, que estima que o país termine o ano com uma taxa de desemprego de 19,2% (da população ativa), que compara com os 11,3% no final de 2019 e com os 11,4% inscritos no Orçamento do Estado ainda em vigor, aprovado em dezembro.

10h35 (CET) Partido irlandês acusado de violar regras anti-Covid

O Sinn Féin está a ser acusado de colocar em perigo a luta contra a Covid-19 na Irlanda do Norte após os líderes do partido terem alegadamente violado as regras estabelecidas para conter a epidemia ao participar no funeral de um comandante do IRA.

A polícia norte-irlandesa abriu uma investigação e garantiu voltar a ver as imagens de vídeo do funeral, realizado terça-feira em Belfast e supostamente com mais de um milhar de pessoas, um número muito superior aos ajuntamentos permitidos até 30 pessoas.

10h30 (CET) China regista três novas infeções e todas em Pequim

A China, país de origem da pandemia, anunciou hoje o registo de três novos casos confirmados de Covid-19 no continente e todos em Pequim.

Uma dezena de pacientes receberam alta hospitalar e mais de 700 pessoas que estiveram em contacto com pessoas infetadas deixaram de estar sob observação, revelou a Comissão de Saúde da China.

10h15 (CET) Cumprir as regras para evitar novo fecho da fronteira

O primeiro-ministro português, António Costa, apelou hoje ao cumprimento “com muito rigor” de todas as normas de segurança e saúde contra a covid-19 para evitar a possibilidade de as fronteiras entre Portugal e Espanha voltarem a fechar.

“A última coisa que podemos pensar é termos de voltar de novo ao fecho da fronteira e da atividade económica. Temos de tentar evitá-lo e cumprir com muito rigor todas as normas de segurança e saúde”, disse António Costa em declarações à Rádio Nacional de Espanha.

Para o chefe do Governo português, até haver “uma vacina com um tratamento eficaz” é necessário que todos tenham presente “o risco da covid-19”, a doença provocada pelo novo coronavírus.

09h55 (CET) Receitas de jogo em Macau caem mais de 77% no primeiro semestre

As receitas do jogo em Macau caíram 97% em junho e mais de 77% no primeiro semestre, em relação a iguais períodos de 2019, num território com fortes restrições nas fronteiras para conter a covid-19.

Se no primeiro semestre de 2019 as operadoras que exploram o jogo no antigo território administrado por Portugal tinham arrecadado 149,5 mil milhões de patacas (16,7 mil milhões de euros), agora a receita bruta ficou-se pelos 33,7 mil milhões de patacas (3,7 mil milhões de euros).

9h40 (CET) Angola e Moçambique entre os cinco maiores devedores subsaarianos

A agência de notação financeira Fitch Ratings disse hoje que entre os cinco países com um maior rácio da dívida sobre o PIB na África subsaariana estão Angola, Cabo Verde e Moçambique, todos acima de 100%.

"A Fitch estima que o rácio da dívida pública face ao PIB seja mais elevada no final deste ano em Cabo Verde, com 157% do PIB, seguida da República do Congo, com 115%, Moçambique, com 113%, Zâmbia com 110% e Angola com 108%", lê-se num relatório sobre as economias da África subsaariana.

9h30 (CET) António Costa assinal "reencontro de vizinhos" na reabertura da fronteira

O primeiro-ministro, António Costa, considerou hoje que a reabertura da fronteira entre Portugal e Espanha é um reencontro entre vizinhos "irmãos e amigos" que terão mais peso se estiverem lado a lado na União Europeia.

António Costa transmitiu estas mensagens na sua conta pessoal na rede social Twitter, antes de participar em cerimónias oficiais em Badajoz e em Elvas para assinalar a reabertura da fronteira com Espanha, juntamente com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com o rei Felipe VI e com o chefe do Governo espanhol, Pedro Sánchez.

"Hoje assinalamos ao mais alto nível a normalização do trânsito terrestre da fronteira entre Portugal e Espanha. É um reencontro entre vizinhos que são irmãos e amigos. Desta fronteira aberta depende a nossa prosperidade partilhada e um destino comum no projeto europeu", escreveu o primeiro-ministro, acrescentando:

Espanha e Portugal devem ser atores de primeira linha na construção de uma Europa cujo modelo económico e social reforce a convergência e que, mais do que esperanças, dê certezas a todos. Teremos mais peso se travarmos esse combate lado a lado, Portugal e Espanha.
António Costa
Primeiro-ministro de Portugal

7h45 (CET) Estados Unidos garante medicamento quase em exclusivo até outubro

Departamento de Serviços de Saúde e Humanos anunciou a compra de meio milhão de doses do medicamento Remdesivir, um dos primeiros recomendados pela Organização Mundial de Saúde e pela Agência Europeia do Medicamento no tratamento da Covid-19.

De acordo com alguns meios de comunicação, o negócio da Administração Trump garantiu a quase totalidade da futura produção do medicamento pela fabricante Gliead Sciences, ao garantir 100% dos "stocks" de julho e 90% dos de agosto e setembro.

O Remdesivir revelou bons resultados na recuperação dos casos mais graves da doença provocada pelo novo coronavírus.

7h30 (CET) 300 mil colocados em confinamento na Austrália

A Austrália decidiu reativar o confinamento domiciliários em diversos subúrbios de Melbourne, no estado de Victoria, após duas semanas a registar diariamente dezenas de contágios.

A medida entra em vigor à meia noite local (15h, em Lisboa).

7h00 (CET) Área Metropolitana de Lisboa reforça transportes públicos

A Área Metropolitana de Lisboa (AML) reforça a partir de hoje a oferta de transportes públicos, sobretudo de autocarros, permitindo que a capacidade fique a 90% da que existia no mesmo período do ano passado.

Na quinta-feira, o primeiro-secretário da AML, Carlos Humberto, informou que houve “um entendimento com os operadores” de transportes de que a partir de hoje existirá um “reforço significativo da oferta”.

Segundo o responsável, “a ideia é ter uma oferta de cerca de 90%” em relação à capacidade existente no mesmo período do ano passado, mas poderão haver reforços “naquilo que vier a ser preciso”, nomeadamente nas “linhas que trazem passageiros para a capital, Lisboa”.

Outras notícias do dia:

  • Portugal entrou às 00h em estado de alerta devido à pandemia, com exceção de 19 freguesias da Área Metropolitana de Lisboa, que se mantém em estado de calamidade, com as restantes freguesias da AML a passarem para um estado intermédio de contingência. As fronteiras terrestres com Espanha estão reabertas Desde as 23 horas de terça-feira,

  • Brasil sofreu 1.271 mortes e quase 38 mil infeções em 24 horas, de acordo com o levantamento efetuado por um consórcio de imprensa junto das secretarias estaduais de Saúde, elevando o respetivo balanço total para 1.408.485 casos confirmados no país, incluindo 59.656 fatalidades;

  • O Ministério da Saúde doBrasil anunciou 1.280 mortes e 33.846 infeções em 24 horas, com o total da epidemia no país a fixar-se oficialmente nos 1.402.041 casos diagnosticados, incluindo 59.594 óbitos e 790.040 pessoas recuperadas;

  • O foco da pandemia no Brasil é o estado de São Paulo, que acumula oficialmente 281.380 pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus e 14.763 vítimas mortais, sendo seguido pelo Rio de Janeiro, que tem hoje 112.611 casos de infeção e 10.080 óbitos;

Universidade Johns Hopkins
Atualizado às 04h33 de 01 de julho de 2020Universidade Johns Hopkins
  • Estados Unidos registaram mais de 1.200 mortos e de 43.00 infetados por Covid-19 em 24 horas. O país contabiliza 2.634.432 casos e 127.410 óbitos desde o início da pandemia, de acordo com a atualização da Universidade Johns Hopkins realizada às 04h33 (CET);
  • Nova Iorque continua a ser o estado mais fortemente afetado pelo novo coronavírus nos Estados Unidos, com cerca de 394 mil casos confirmados e mais de 32 mil mortes, apenas inferior ao do Brasil, Reino Unido e Itália. Só na cidade de Nova Iorque, morreram mais de 23 mil pessoas.

A pandemia de SARS-CoV-2

O surto deste novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2 e que provoca a doença Covid-19, terá surgido em dezembro num mercado de rua de Wuhan, embora alguns estudos admitam que o vírus já estivesse presente naquela cidade chinesa desde outubro.

O primeiro alerta endereçado à Organização Mundial de Saúde aconteceu a 31 de dezembro referindo o caso de uma pneumonia desconhecida. O primeiro registo na Europa surgiu a 24 de janeiro, em França, quatro dias depois dos Estados Unidos.

Médicos em França sugerem, entretanto, ter assistido o primeiro paciente no país com Covid-19 a 27 de dezembro depois de repetirem em abril as análises de exames a antigos pacientes com sintomas suspeitos da nova doença.

De acordo com os registos oficiais, a pandemia entrou em África, pelo Egito, a 15 de fevereiro, e dez dias depois chegou à América do Sul, pelo Brasil. A pandemia bloqueou a maior parte do mundo desde meados de março.

Dois meses depois, apesar da pandemia continuar em expansão, alguns países começam a afrouxar as medidas de contenção e a promover a retoma económica. As fronteiras abriram e as viagens de férias estão a levantar receios de uma nova vaga de contágios.