Última hora
This content is not available in your region

Morreu John Lewis, líder histórico dos direitos civis

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Borges de Carvalho com AP, EFE
euronews_icons_loading
Morreu John Lewis, líder histórico dos direitos civis
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Morreu o congressista John Lewis, líder histórico dos Direitos Civis nos Estados Unidos.

Lewis liderou a marcha de cerca de seiscentas pessoas que a 7 de março de 1965 atravessou a Ponte Edmund Pettus, em Selma, no Alabama. Uma manifestação pelo direito de voto dos negros, interrompida por uma violenta ação policial que acabou no que viria a ficar conhecido como Domingo Sangrento.

Foi também um dos promotores da Marcha de 1963, em Washington, pelo Trabalho e Liberdade, onde Martin Luther King Jr. proferiu o histórico discurso "Eu tenho um sonho".

Ações que levaram o ex-Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama a condecorá-lo com a Medalha da Liberdade em 2010, o reconhecimento mais alto do país a um civil.

Obama já lamentou a morte de John Lewis, tal como Bernice King, filha de Martin Luther King Jr. que lembrou que Lewis deu "contribuições tremendas na sua vida, mais do que a maioria de nós alguma vez fará e que foi sacrificado de formas que poucos de nós alguma vez será".

Eleito para a Câmara dos Representantes, pelo Partido Democrata, em 1986, John Lewis esteve desde então no Congresso norte-americano.

No debate sobre a eventual destituição do Presidente Donald Trump, em dezembro do ano passado, lembrava que "se vemos alguma coisa que está errada, que é injusta, temos o dever moral de dizer e fazer alguma coisa."

John Lewis faleceu esta sexta-feira, aos 80 anos, vítima de cancro no pâncreas.