Última hora
This content is not available in your region

Migração ilegal discutida em Viena

euronews_icons_loading
Migração ilegal discutida em Viena
Direitos de autor  Ronald Zak/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A Europa enfrenta os desafios da pandemia, mas os desafios em torno migração ilegal continuam. Depois de uma descida para um nível recorde em abril, devido à Covid-19, o número de refugiados em direção à União Europeia, principalmente através do Mediterrâneo, aumentou novamente.

Ministros europeus reunidos em Viena discutem a questão numa conferência de dois dias.

O ministro do Interior da Áustria, Karl Nehammer, defende uma abordagem com base na União: "Em primeiro lugar, no que diz respeito à proteção das fronteiras, temos de mostrar solidariedade e, acima de tudo, a Áustria está pronta para apoiar a Grécia novamente. Em segundo lugar é preciso fortalecer e promover as oportunidades de regresso, tornar o regresso o mais fácil possível. O terceiro ponto é a luta contra o crime organizado, o tráfico, que explora brutalmente o sofrimento das pessoas".

Segundo a Frontex - a agência europeia de controlo de fronteiras, em maio, contabilizaram-se quase 4.300 passagens ilegais nas principais rotas de migração da Europa. Atualmente, a rota dos Balcãs é a mais movimentada.

França e Reino Unido unem forças na patrulha da costa norte francesa. Os dois países assinaram recentemente um acordo para combater traficantes de migrantes e reduzir o número de pessoas que atravessam o Canal da Mancha ilegalmente.

As redes de crime organizado atacam os mais vulneráveis e exploram pessoas que fazem viagens perigosas em busca de um futuro mais promissor. França e o Reino Unido dizem que a iniciativa pretende impedir que pessoas desesperadas corram ainda mais riscos.