Pompeo procura apoio da Europa contra "ameaça" da China

Access to the comments Comentários
De  euronews
Pompeo procura apoio da Europa contra "ameaça" da China
Direitos de autor  NIELS CHRISTIAN VILMANN/AFP

Os Estados Unidos da América querem o apoio da Europa para combater a ascensão da influência da China no globo.

Os países europeus têm-se mostrado relutantes em ver o mundo dividido em dois campos opostos devido a um confronto entre a China e os Estados Unidos, no entanto, durante uma breve visita à Dinamarca, o secretário de estado norte-americano, Mike Pompeo, alertou para os consecutivos ataques da China à propriedade intelectual do ocidente.

"Tem existido este longo desafio do Partido Comunista Chinês a roubar propriedade intelectual. Não foi apenas a propriedade intelectual americana que foi roubada, mas, também, a europeia que custou centenas de milhares de empregos".

As relações entre Londres e Pequim têm vindo a degradar-se devido às tensões em Hong Kong e à rejeição da tecnologia 5G da Huawei.

Numa reunião entre os ministros dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido e da Alemanha, a questão chinesa foi uma das questões em discussão.

O britânico Dominic Raab garantiu que o Reino Unido quer manter uma relação positiva com a China, no entanto alerta que relativamente a Hong Kong e, também, a Xinjiang, "a China deve estar à altura das suas obrigações e responsabilidades internacionais".

O homólogo germânico, Heiko Maas, garantiu que "a Alemanha irá implementar as propostas elaboradas em conjunto com França" e que são "muito semelhantes às da Grã-Bretanha".

As tensões entre os Estados Unidos e a China retomam um novo fôlego depois de a administração de Donald Trump ter ordenado o encerramento, até sexta-feira, do consulado chinês na cidade de Houston, no Texas. Uma medida classificada como "provocação política" por Pequim.