Última hora
This content is not available in your region

Polícia Judiciária investiga ameaças à SOS Racismo

euronews_icons_loading
Lisboa, Polícia Judiciária
Lisboa, Polícia Judiciária   -   Direitos de autor  Euronews/RTP
Tamanho do texto Aa Aa

A Polícia Judiciária portuguesa está a investigar emails, com ameaças, enviados à organização não-governamental SOS Racismo. Os autores do segundo correio eletrónico - que se identificam como Nova Ordem de Avis-Resistência Nacional, o primeiro era atribuído apenas à Nova Ordem de Avis - davam um prazo, 48 horas, para que várias pessoas, entre elas um dos dirigentes da associação, abandonassem Portugal e prometiam represálias caso a exigência não fosse cumprida.

As deputadas Beatriz Gomes Dias e Mariana Mortágua, do Bloco de Esquerda, e Joacine Katar Moreira, agora deputada independente, estavam entre os 10 destinatários deste documento. As deputadas do Bloco de Esquerda e a SOS Racismo já informaramque vão apresentar uma queixa-crime ao Ministério Público.

Por agora, a investigação continua. A PJ já esteve na sede da organização e já foram ouvidas, na PJ em Lisboa, várias pessoas, entre elas Mamadou Ba, o referido dirigente desta ONG.

Ao canal público de televisão português, RTP, e por email, o movimento "Resistência Nacional" descartou qualquer responsabilidade pelo email enviado e garantiu repudiar "qualquer tipo de intimidação física ou psicológica a quem quer que seja".

Numa carta aberta, assinada por 34 grupos antirracistas de vários pontos do país, exigia-se aos responsáveis políticos que combatam o racismo e o crescimento da extrema-direita em Portugal.

Nome do jornalista • Nara Madeira

Editor de vídeo • Nara Madeira