Última hora
This content is not available in your region

Autoridades francesas endurecem medidas contra a Covid-19

euronews_icons_loading
Autoridades francesas endurecem medidas contra a Covid-19
Direitos de autor  Screenshot AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Em França, e a partir de um de setembro, passa a ser obrigatório o uso de máscara em todos os espaços fechados, incluindo os de trabalho onde haja mais do que uma pessoa. Medidas consideradas necessárias face à evolução da pandemia e com os locais de trabalho a assumirem um papel mais importante na propagação do vírus, num país onde já morreram mais de 30 mil pessoas devido ao novo coronavírus.

Espanha voltou a integrar a lista dos 10 países com mais casos de Covid-19 e é o Estado europeu com maior número de casos positivos, de COVID-19, por 100 mil habitantes, nos últimos quatorze dias. O país regista mais de 364 mil casos confirmados e, pelo menos, 28.670 vítimas mortais desde o início da propagação do vírus, em terras espanholas.

O País Basco está em emergência sanitária mas não haverá confinamento obrigatório, apenas novas medidas de proteção, entre elas a obrigatoriedade de manter uma distância de, pelo menos, um metro e meio entre as pessoas nas esplanadas dos estabelecimentos de restauração, a fiscalização vai ser aumentada.

Enquanto a Suíça acaba de colocar a Bélgica entre os países de risco, as crianças belgas preparam-se para regressar à escola a um de setembro. Uma parte delas pelo menos na primeira semana já que as mais velhas continuarão, depois, a ter aulas à distância.

O regresso à escola é visto como bons olhos por alguns. Lieven Boeve, professor de teologia, diz que fica claro que a educação é uma prioridade na sociedade belga. "Os alunos podem regressar à escola de uma forma mais estruturada. Encontrámos um equilíbrio entre os argumentos virológicos e as considerações pedagógicas", explica.

Ainda em período de férias é preciso não baixar a guarda. A Organização Mundial de Saúde alerta que o mundo não está sequer perto dos níveis de imunidade necessários para evitar que o novo coroonavírus continue a propagar-se.