EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Capitão do Wakashio detido pelas autoridades

Capitão do Wakashio detido pelas autoridades
Direitos de autor AP/AP
Direitos de autor AP/AP
De  Joao Duarte Ferreira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As autoridades das Maurícias continuam a investigar as circunstâncias em que o naufrágio ocorreu

PUBLICIDADE

As autoridades das Maurícias detiveram o capitão do navio japonês que naufragou ao largo da ilha causando uma maré negra.

O capitão Sunil Kumar Nandeshwar, originário da Índia, é acusado de ter "colocado em perigo a navegação em segurança". O número dois da embarcação foi igualmente detido.

"Um dos meus receios é que não seja o último naufrágio nas Maurícias. Num mês tivémos duas mil embarcações que se aproximaram das Maurícias. É demasiado. Nos últimos 10 anos tivémos algo como cinco naufrágios nas nossas águas. A diferença para com este naufrágio é que causou uma enorme mancha de óleo" alerta o Dr. Vikash Tatayah, diretor de conservação da Fundação da Vida Selvagem das Maurícias.

O Wakashio naufragou no dia 25 de julho. Depois de vários dias a ser fustigado por ondas começou a deixar escapar petróleo.

Mais de 1000 toneladas de um total de 4 mil toneladas escaparam para uma das reservas naturais mais importantes da ilha.

As investigações revelaram que o navio deveria ter passado a cerca de 16 quilómetros da costa das maurícias mas o naufrágio ocorreu a cerca de quilómetro e meio da costa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Maurícias pedem indemnização a armador japonês

Catástrofe ambiental à vista nas Ilhas Maurícias

ONG Mares Saudáveis recolhe toneladas de resíduos em "explorações fantasma" na costa grega