Última hora
This content is not available in your region

"As manifestações estão a funcionar", Sviatlana Tsikhanoskaya

euronews_icons_loading
"As manifestações estão a funcionar", Sviatlana Tsikhanoskaya
Direitos de autor  AP/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

O Comité da Guarda de Fronteiras da Bielorrússia divulgou imagens que diz serem do carro que transportou Maria Kolesnikova e outros membros da oposição. A mesma fonte diz que ela está sob custódia das autoridades bielorrussas. Outras fontes dizem que tentaram obrigá-la a abandonar o país e ir para a Ucrânia mas que ela resistiu e acabou detida.

Sobre a matéria, e à euronews, Sviatlana Tsikhanoskaya, o principal rosto da oposição bielorrussa, dizia que é uma demonstração de medo. Explicava que há mais de 24 horas que não têm notícias de Maria Kolesnikova, garantindo que ela foi sequestrada mas que continuarão a lutar.

Estamos a vencer, as nossas manifestações estão a funcionar e as nossas greves também. Pensamos que o regime está em agonia e o facto de estarem a raptar pessoas mostra que sentem medo e não sabem o que fazer. Por isso vamos continuar e vamos vencer.
Sviatlana Tsikhanoskaya
representante da oposição bielorrussa

Já o presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, terá confessado, durante uma entrevista a meios de comunicação russos que talvez esteja sentado há tempo demais na cadeira da presidência mas que é o único que pode "proteger os bielorrussos". Uma informação avançada pela agência de notícias russa Tass, que citava um canal público de televisão também russo.

Os protestos contra o chefe de Estado têm subido de tom desde as eleições presidenciais das quais saiu vencedor mas com os resultados oficiais a serem contestado pela oposição e a serem postos em causa por uma parte da comunidade internacional. Manifestações que têm terminado com centenas de detenções.