Última hora
This content is not available in your region

Bélgica flexibiliza alguns medidas na pandemia de Covid-19

euronews_icons_loading
Bélgica flexibiliza alguns medidas na pandemia de Covid-19
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O governo belga anunciou, quarta-feira, medidas para conter a pandemia de Covid-19, mas apesar do aumento da taxa de infeção no país, até há relaxamento de algumas regras.

A partir do 1 de outubro deixará de ser obrigatório usar máscara em todas as ruas das grandes cidades, mas apenas nas zonas de grande movimento, mantendo-se a obrigatoriedade para transportes públicos e espaços interiores públicos, incluindo lojas e cinemas.

O período de quarentena será reduzido de 14 para sete dias, mas primeira-ministra Sophie Wilmès diz que a população deve continuar a ser cooperante, face aos dados que chegam de outros países: “Alguns países tomam medidas mais duras, decretando confinamentos parciais, como é o caso de Espanha. Por isso, devemos permanecer vigilantes".

"A pandemia de Covid-19 ainda não acabou, a situação mantém-se e o vírus não desapareceu, mas a vida normal acabará por ser, eventualmente, retomada", acrescentou.

O governo manteve a restrição de ajuntamento, pelo que cada pessoa pode contactar apenas com outras cinco que vivem fora do seu domicílio e o teletrabalho deve ser mantido na medida do possível.

“Atualmente, os especialistas aconselham a todos que tenham um contato próximo com, no máximo, cinco pessoas por mês, para além das que residem na mesma casa. São pessoas que poderá abraçar e com as quais conviver sem ter de manter o distanciamento social", disse a primeira-ministra.

No que aos viajantes diz respeito, a partir de sexta-feira, deixam de ser obrigatórios os testes à Covid-19 para quem veio de zonas classificadas de médio risco, aplicando-se a regra só às zonas de grande risco.