Última hora
This content is not available in your region

Marcha de mulheres em Minsk

euronews_icons_loading
Marcha de mulheres em Minsk
Direitos de autor  AP/TUT.by
Tamanho do texto Aa Aa

Na capital da Bielorrússia, uma nova marcha de mulheres voltou a pedir a demissão do presidente.

As manifestantes acusaram Alexander Lukashenko de manipular as eleições do mês passado e gritaram o nome de Svetlana Tikhanovskaya, a candidata que ficou em segundo lugar nas presidenciais

Nas ruas de Minsk, a multidão ergueu a bandeiras que a Bielorrússia adotou depois do fim da União Soviética. Dezenas de pessoas foram detidas pela polícia de choque que acompanhou em peso e de muito perto a manifestação

Novo mandato

Alexander Lukashenko prestou juramento para um sexto mandato, na quarta-feira, numa cerimónia realizada sem aviso prévio.

Um dia depois, a União Europeia anunciou que não reconhece Lukashenko como presidente. Em comunicado, o chefe da diplomacia do bloco disse que o novo mandato "não tem legitimidade democrática e não respeita os objetivos de vários setores da população bielorrussa".