Última hora
This content is not available in your region

Tempestade "Alex" deixa rasto de destruição

euronews_icons_loading
Tempestade "Alex" deixa rasto de destruição
Direitos de autor  AP/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O corpo de um homem foi recuperado este domingo na região dos Alpes marítimos elevando para pelo menos quatro o número de mortos resultantes da passagem da tempestade Alex pelo sudeste de França e norte de Itália.

De acordo com as autoridades, oito pessoas permanecem desaparecidas. Entre quem ficou para contar, multiplicam-se as histórias de terror e drama.

Elisa Naso é cabeleireira e mais uma vez viu o negócio a afundar com uma inundação.

"Já tive de renovar a minha loja quatro vezes. O que se vê é o que resta da última. Comprei este balcão há apenas dois anos; paguei sete mil euros por ele. E agora vou ter de o deitar fora. Como podem ver, perdi tudo", lamenta.

As regiões italianas de Piemonte e Ligúria pedem que seja decretado estado de emergência.

No lado francês, perto de Nice, choveu em 12 horas o equivalente à precipitação média de um ano.

O momento da passagem da tempestade foi e continua a ser aterrador para muitos dos que o viveram. Mélanie Petitdemange chegou a pensar que iria morrer no hotel onde estava alojada.

"Pensei: `´´"bem, acabou. Se o hotel não se safar, acabou-se´´`"".

Sandra Dzidt, habitante de Saint-Martin-Vésubie, perdeu a casa e todos os pertences. Na mão, tem apenas um saco.

"Saí com isto, uma camisa de dormir, e isto é o que me resta. O que tenho vestido não é meu. Já não tenho carro. Já não temos mais nada, como metade da aldeia".

Como resultado das inundações, cerca de 10500 lares franceses ficaram sem eletricidade.

Sem as vias de comunicação restabelecidas, muitas famílias ainda não conseguiram contactar os parentes. As autoridades temem que o número de vítimas venha a aumentar nas próximas horas.