Última hora
This content is not available in your region

Reciclar tela publicitária para produzir menos plástico

euronews_icons_loading
Produção de malas a partir de tela publicitária
Produção de malas a partir de tela publicitária   -   Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Nada se perde, tudo se transforma. A Comissão Europeia quis usar a reciclagem dos banners de comunicação como um exemplo de medidas amigas do ambiente, a poucos dias da "Semana Verde", uma iniciativa para debater política ecológica, de 19 a 22 de outubro.

Uma oficina no sul de Bruxelas, que emprega alguns funcionários com deficiência, usa as telas de propaganda para fazer malas e sacos com muitas utilidades.

“Estamos a produzir 500 artigos, que são feitos a partir de telas com cerca de de 250 m2. Isto é, usamos praticamente todo o banner que se costuma colocar no edifício Berlaymont, às vezes até um um pouco mais”, explicou Jean-Luc Théate, responsável de produção na empresa Designpoint.

euronews
Malas são feitas com recurso a bastante mão-de-obraeuronews

O Berlaymont é a sede da Comissão Europeia, que ostenta na fachada painéis de comunicação, sendo mudados com bastante frequência, mas a empresa recebe material de outras fontes.

Em média, 2500 m2 de telas publicitárias são recovertidas, anualmente, nesta oficina, produzindo mais de três mil artigos. O trabalho é sempre feito manualmente por razões éticas, mas também técnicas.

“Utilizamos um método de baixa tecnologia. As ferramentas do oficina são principalmente máquinas de costura, não há cortador eletrónico de tela, cada peça é cortada à mão. Há uma razão técnica para usar esse método porque assim cada mala ou bolsa produzida é única. Nem toda a superfície da tela de um banner pode ser usada e é necessário posicionar os moldes de acordo com os elementos gráficos do desenho que nos foi entregue", disse Jean-Luc Théate.

Menos plástico é uma urgência

A produção têxtil representa apenas 20% dos produtos que saem da empresa, originalmente especializada na modelagem de papel. Mas a dinâmica está a mudar e essa atividade de reciclagem deverá ser mais desenvolvida em breve.

“Os nossos clientes querem desenvolver a vertente social preconizada por esta empresa, bem como a vertente da sustentabilidade porque produzimos muitos itens que visam substituir o plástico", referiu Benoît Lhost, diretor da associação APAC, que trabalha com a Designpoint.

Além da reciclagem, a Comissão Europeia quer reduzir a sua pegada ecológica de outra forma, isto é, reduzir as atividades que contribuem para a emissão de gases poluentes.

"Tentamos fazer essa redução no maior número de áreas possíveis, seja no tratamento dos resíduos como nas emissões de dióxido de carbono. Por exemplo, o nosso uso de papel diminuiu em 71% entre 2005 e 2018. Também reduzimos o uso de energia nos edifícios em mais de 60% nesse periodo", afirmou Tim McPhie, porta-voz da Comissão Europeia.

A Comissão Europeia propõe que os 27 Estados-membros da União sejam neutros em emissões de gases poluentes em 2050, sem perderem competitividade económica.