"Conspiração" contra governadora do Michigan

"Conspiração" contra governadora do Michigan
Direitos de autor  AP/AP
De  Euronews

Dois grupos considerados extremistas foram detidos no Estado norte-americano do Michigan por alegadamente conspirarem para sequestrar a governadora Gretchen Whitmer, tomar de assalto o capitólio do Estado e iniciar uma guerra civil.

As autoridades federais norte-americanas anunciaram ter desmantelado uma rede criminosa que teria como objetivo raptar a governadora democrata do Estado do Michigan, Gretchen Whitmer. Os seis homens, alegados membros do grupo "Wolverine Watchmen", foram acusados de conspiração para sequestro pelo que dizem ser o "poder sem controlo" da governadora. Num caso separado, sete pessoas foram acusadas de planearem um assalto ao capitólio do Michigan e preparar uma "guerra civil".

O candidato democrata Joe Biden aproveitou para fazer campanha.

"As palavras de um presidente têm impacto. Já me ouvir falar isto. Elas podem fazer com que os mercados de uma nação subam ou desçam, desencadear guerra ou trazer paz. Mas também podem dar oxigénio a aqueles que estão repletos de ódio e perigo. E eu acho que isto tem que parar. O presidente tem que perceber as suas palavras tem importância".

Caso considerado culpado, o primeiro grupo poder ser condenado a prisão perpétua, o outro enfrenta numa pena máxima de 20 anos atrás das grades.

A governadora Gretchen Whitmer obteve elogios pela resposta ao coronavírus, nas também foi bastante criticada por republicanos e conservadores estaduais. O capitólio do Michigan foi palco de inúmeras manifestações a pedir demissão de Whitmer.

Notícias relacionadas