Última hora
This content is not available in your region

Cíclades com energia mais limpa e fiável

euronews_icons_loading
Cíclades com energia mais limpa e fiável
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Durante décadas, as Ilhas Cícládicas sofriam frequentes cortes de energia que causavam sérias dores de cabeça aos residentes, às empresas e aos turistas. Agora este arquipélago grego está a beneficiar de um abastecimento energético mais estável graças a "Cyclades Islands Interconnection", um projeto europeu que liga as ilhas à rede elétrica da Grécia Continental e também umas às outras.

Isto graças a centenas de quilómetros de cabos submarinos de alta tensão, a mais longa deste tipo no mundo.

Este Outono é a vez de Naxos receber eletricidade de alta qualidade, através de uma nova subestação construída na ilha pelo Operador Independente de Transmissão de Energia (IPTO).

"A rede elétrica estável e robusta da Grécia Continental está agora a ser transferida para as ilhas. Isso torna o sistema mais poderoso. Por exemplo, vamos deixar de ter os frequentes cortes de energia que ocorrem nas ilhas devido a condições meteorológicas extremas", explica o gestor do projeto, Nikolaos Margoutas.

A interconexão das Cíclades começou em 2017 e tem 4 fases. A última deve estar concluída em 2024.

Este projeto de infraestruturas tem um orçamento de 782,4 milhões de euros e é, em grande parte, cofinanciado pela operadora grega, com 338,7 milhões e pela Política de Coesão da UE com 276 milhões de euros. No final do processo, dez ilhas do arquipélago estarão ligadas à rede eléctrica continental.

Rica em história e em paisagens de sonho, Naxos, como o resto das Cíclades, recebe todos os anos milhares de visitantes de todo o mundo e continua a receber apesar da pandemia de Covid-19. Stelios Vathrakokilis é proprietário de dois hotéis e depende fortemente da alta tensão. Os problemas elétricos da ilha têm tido um impacto direto no trabalho: "Quando a eletricidade é cortada no Verão, todas as empresas turísticas têm problemas com frigoríficos e ar condicionado. Quando é cortada durante a noite, as luzes de segurança acendem-se e algumas pessoas têm medo. Alguns queixam-se e têm razão porque pagam e depois não têm sequer ar condicionado".

Além de impulsionar o turismo, o novo sistema faz com que as ilhas deixem os geradores a combustível por um sistema mais amigo do ambiente.

Diz Ioannis Margaris, vice-presidente da IPTO: "As centrais elétricas que queimam combustíveis fósseis - gasóleo ou petróleo - estão a ser encerradas. Isso significa que as faturas pagas pelos consumidores vão diminuir significativamente. A interconexão entre as ilhas não é uma solução oposta à energia verde. É exatamente a rota que as energias renováveis, sejam elas solares ou eólicas, devem tomar para chegar à Grécia continental e vice-versa".