EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Julgamento de Nicolas Sarkozy que está acusado de corrupção

Julgamento de Nicolas Sarkozy que está acusado de corrupção
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ex-presidente de França enfrenta a justiça a partir desta segunda-feira.

PUBLICIDADE

Nicolas Sarkozy é acusado de corrupção e enfrenta a justiça a partir desta segunda-feira, ao lado de seu advogado Thierry Herzog e do antigo juiz Gilbert Azibert.

Para compreender o caso, é preciso voltar a 2013, quando a justiça decidiu colocar o o ex-presidente sob escuta, por suspeitas de ter recebido financiamento do regime líbio de Muammar Kadafi durante a campanha presidencial de 2007.

Nicolas Sarkozy usou um pseudónimo, ligou ao advogado com o nome de Paul Bismuth. Juntos, conversaram sobre a decisão que o Tribunal de Cassação estava prestes a tomar sobre a apreensão das agendas presidenciais - uma decisão esta relativa a outro caso, mas que estipularia se essas agendas podiam ser usadas noutras investigações envolvendo Nicolas Sarkozy.

As escutas telefónicas levaram os juízes a suspeitar que o ex-presidente e o seu advogado tentaram influenciar o juíz Gilbert Azibert, em troca de um cargo no Conselho de Estado no Mónaco.

Sarkozy refuta as acusações e afirma não ter pedido nenhum favor às autoridades monegascas para Gilbert Azibert. Mas no despacho, o procurador frisa que mesmo que Gilbert Azibert não tenha ficado com o emprego, "a mera solicitação ou aceitação é suficiente".

Nicolas Sarkozy, que denuncia a instrumentalização política da justiça, está sujeito a um máximo 10 anos de prisão e uma multa de 1 milhão de euros se for condenado por corrupção ativa.

O ex-presidente, agora retirado da política, enfrenta justiça noutros casos. Vai ser julgado por despesas ilegais feitas durante as eleições presidenciais de 2012. Para além de ter sido indiciado num caso sobre o possível financiamento líbio.

No entanto a audiência poderá ficar comprometida devido à ausência de um dos réus. Gilbert Azibert, de 74 anos, não está em condições de comparecer no Tribunal Criminal de Paris, devido ao risco associado à Covid-19 e a audiência será suspensa durante a realização de uma investigação médica.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tribunal da Relação condena Sarkozy a um ano de prisão, com seis meses de pena efetiva

Polícia faz buscas ao comité organizador dos Jogos Olímpicos de Paris

Berlusconi e a Europa: um ano após o desaparecimento de um líder que mudou a UE