Última hora
This content is not available in your region

Sindicatos e trabalhadores querem "fazer pagar a Amazon"

euronews_icons_loading
Protesto contra a Amazon em França
Protesto contra a Amazon em França   -   Direitos de autor  Bob Edme/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

"Façam Pagar a Amazon": foi esta a mensagem entregue por representantes sindicais numa encomenda simbólica depositada na sede do gigante do comércio "online" em Bruxelas, coincidindo com manifestações e greves de trabalhadores em vários pontos do globo.

Através da plataforma "MakeAmazonPay.com" denunciam que a empresa "tornou-se numa corporação bilionária durante a pandemia de Covid-19", enquanto "os trabalhadores dos armazéns da Amazon arriscavam a vida, como trabalhadores essenciais."

Oliver Roethig, secretário regional do sindicato UNI Europa:"Precisamos do apoio de governos através do mundo para garantir que a Amazon paga. A União e a Comissão Europeia têm um papel preponderante e é por isso que estamos aqui. Queremos forçá-los a garantir que existem realmente práticas justas por parte da Amazon, em termos de salários, impacto ambiental e impostos para apoiar as nossas sociedades."

Axelle Van Wynsberghe, representante da Progressive International:"Temos manifestações e greves em curso em 4 continentes, em muitas cidades à volta do mundo."

Um desses protestos tem lugar na Alemanha, onde cerca de 2500 trabalhadores da Amazon iniciaram esta quinta-feira três dias de paralisação para perturbar intencionalmente as atividades da empresa durante os já famosos descontos da chamada "Black Friday".

Ao mesmo tempo, o gigante do comércio "online" anunciou que pagaria 500 mil milhões de dólares em bónus de Natal aos trabalhadores dos Estados Unidos e do Reino Unido, depois das receitas da Amazon terem disparado durante a pandemia.