Última hora
This content is not available in your region

Gerigonça de direita à vista na Roménia

De  Teresa Bizarro com AP, EFE
euronews_icons_loading
Gerigonça de direita à vista na Roménia
Direitos de autor  Andreea Alexandru/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Ganhar sem vencer. O Partido Social Democrata (PSD) da Roménia ganhou as eleições de domingo com 30 por cento dos votos. Um resultado que não chega para tomar as rédeas do país. O Partido Nacional Liberal (PNL), do primeiro-ministro Ludovic Orban, ficou em segundo lugar, mas deve formar governo em coligação com os reformistas da USR PLUS.

Andreea Alexandru/AP
Ludovic Orban declarou-se vencedor, mesmo tendo perdido as eleiçõesAndreea Alexandru/AP

Ludovic Orban anunciou vitória ainda antes de todos os votos estarem contados. "Atendendo às margens de erro e todas as nossas análises, o Partido Liberal Nacional considera que ganhou estas eleições," anunciou.

Opinião diferente tem o líder social-democrata. Marcel Ciolacu considera que "os romenos que votaram fizeram-no porque ultrapassaram os medos pessoais e compreenderam a necessidade do governo de Orban voltar para casa".

Os sociais democratas pedem a demissão imediata do primeiro-ministro e rejeitam a possibilidade de uma coligação com os liberais.

Numas eleições marcadas por uma abstenção recorde de 68%, a vitória do PSD não chega para viabilizar um novo governo. Os liberais de Orban contam com o apoio do presidente romeno e, mesmo sem maioria absoluta, em coligação conseguem renovar o mandato.

A popularidade de Orban foi severamente atingida pelas críticas à gestão da pandemia. A Covid-19 já custou mais de 12 mil vidas romenas no meio da pior recessão económica em três décadas.