Última hora
This content is not available in your region

Líder da Vendée Globe enfrenta fúria dos mares

euronews_icons_loading
Beleza no meio da tempestade
Beleza no meio da tempestade   -   Direitos de autor  © Maxime Sorel / VandB - Mayenne
Tamanho do texto Aa Aa

O líder da Vendée Globe marcou um mês desde o início da volta ao mundo à vela em solitário com um encontro com "a pior tempestade" desde o arranque da prova, nas suas próprias palavras.

Charles Dalin, que lidera as hostilidades há 16 dias, enfrentou uma depressão no Oceano Índico com rajadas de vento até 100 quilómetros por hora, que levou a equipa que o acompanha à distância desde França a montar uma "célula de crise".

O "skipper" francês escapou ao pior da intempérie e continua a liderar, seguido pelo conterrâneo Thomas Ruyant, que também enfrentou condições bastante agitadas.

Apesar de mais afastados do centro da tempestade, o grupo de uma dezena veleiros que persegue os dois líderes, também enfrentou condições adversas.

A vida a bordo é bastante difícil. Tudo é complicado, seja comer ou servir um simples copo de água... Metade cai por terra. E dormir, quando conseguimos, é aos bocadinhos...
Maxime Sorel
"skipper" do V and B Mayenne

[𝐉𝐎𝐔𝐑+𝟑𝟎 Vendée Globe ] - 11ème Maxime Sorel : “C’est comme dans les pires films de tempêtes” Il y a tout juste un mois...

Posted by Maxime SOREL on Tuesday, December 8, 2020

Momentos de rara beleza no Grande Sul

Mas, no meio da tempestade, também há tempo para momentos de grande beleza, como este arco-íris completo que surgiu no encalço do veleiro de Maxime Sorel, ou o encontro entre Yannick Bestaven e vários albatrozes, símbolos para todos os velejadores do Grande Sul.

Mais atrás e gozando de um mar mais tranquilo, Armel Tripon pode aproveitar, a bordo do Occitane en Provence, todo o esplendor de uma alvorada austral.

Editor de vídeo • Rodrigo Barbosa