EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Alemanha prepara-se para reforçar medidas de restrição

Alemanha prepara-se para reforçar medidas de restrição
Direitos de autor AP
Direitos de autor AP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Angela Merkel reúne-se com líderes estaduais para discutir imposição de novas medidas a nível nacional ainda antes do Natal

PUBLICIDADE

A Alemanha está em dificuldades para fazer face à pandemia de covid-19 e só este sábado registaram-se mais de 28 mil novas infeções e perto de quinhentas mortes associadas à doença, números que deixam o sistema de saúde alemão à beira do colapso. Vários estados federais reforçaram já as medidas de restrição e este domingo o governo de Angela Merkel reúne-se com os líderes estaduais para discutir a imposição de novas medidas a nível nacional ainda antes do período natalício.

Medidas que não agradam a todos. Estava prevista para este sábado em Dresden uma manifestação contra as restrições em vigor mas a justiça alemã proibiu o ajuntamento, citando o interesse da saúde pública. A polícia deteve ainda 26 manifestantes que se preparavam para protestar mesmo assim.

Em Londres, no entanto, houve mesmo protestos com algumas dezenas de pessoas a manifestarem-se contra as vacinas. O Reino Unido tornou-se esta semana no primeiro país a aprovar e administrar vacinas contra a covid-19.

Na Rússia, o surto está pior que nunca e na sexta-feira foi estabelecido um novo recorde, com 613 mortes no espaço de 24 horas. Já morreram mais de 46 mil pessoas no país, que soma mais de 2 milhões e seiscentos mil casos da doença. Ainda assim, as autoridades recusam adotar medida drásticas e por enquanto limitaram-se a fechar bares e restaurantes às 23 horas e proibir as grandes concentrações de pessoas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Igreja de Berlim oferece missas ao ar livre

Polícia alemã ataca grupo extremista antissistema

População da China diminui pelo segundo ano consecutivo