Covid-19: Austrália ameaça deportar estrangeiros que violem restrições

Covid-19: Austrália ameaça deportar estrangeiros que violem restrições
Direitos de autor Mark Baker/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O governo australiano lançou um aviso de ameaça de deportação contra os estrangeiros que violarem as restrições impostas por causa da pandemia

PUBLICIDADE

A Austrália ameaça deportar os estrangeiros - turistas ou detentores de visto temporário de residência - se não acatarem as restrições impostas para combater a pandemia.

O aviso foi feito pelo ministro para a Imigração, Alex Hawke, em termos que não deixam dúvidas:

"Devem obedecer às ordens de saúde pública se forem titulares de um visto temporário. São convidados na Austrália. Sabemos que a maioria dos titulares de vistos temporários obedece às ordens de saúde pública. Mas para aquele pequeno grupo que pensa que pode violá-las e safar-se, pedimos às nossas agências que se debruçassem sobre o assunto. Vamos pedir-lhes que trabalhem com funcionários da Nova Gales do Sul e se tomarmos conhecimento de que violaram a ordem de saúde pública, iremos analisar muito cuidadosamente as vossas condições de visto, e estão sujeitos ao cancelamento".

Os avisos surgem após imagens nas redes sociais que chocaram o país de aglomerados de jovens a cantar e dançar, na praia de Bronte, em Sidney, no dia de Natal.

Testemunhas afirmam que eram, na maioria, ingleses.

Sydney está a lutar contra um novo surto, surgido na semana do Natal, após meses de ausência de casos locais.

O reaparecimento do vírus provocou uma rápida reintrodução de restrições na cidade, incluindo a proibição de reuniões de férias e o encerramento da região mais afetada, as Praias do Norte.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Austrália quebra recorde diário de infeções

Detidos suspeitos de morte de menina de dois anos

Finlândia em choque com crime de criança de 12 anos