This content is not available in your region

Peugeot e Chrysler unem-se e criam Stellantis

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
Peugeot e Chrysler unem-se e criam Stellantis
Direitos de autor  Christophe Ena/ 2018 The Associated Press

Os acionistas da Peugeot Citroën (PSA) e da Fiat Chrysler (FCA) aprovaram, esta segunda-feira, a fusão dos dois grupos.

Com esta aliança nasce Stellantis, o quarto maior grupo automóvel do mundo, ficando só atrás de Volkswagen, Toyota e Renault-Nissan.

A Stellantis terá a capacidade para produzir 08 mil e 700 milhões de veículos por ano, o que resultará em 5 mil milhões de euros de lucros anais. Um número superior aos 3,7 mil milhões de euros estimados quando o negócio foi anunciado em dezembro de 2019.

O presidente do Conselho de Supervisão da PSA, Louis Gallois, sublinhou que "a Stellantis nasceu sobre uma base sólida e tem todos os trunfos para ser um ator importante na indústria automóvel. O conselho de supervisão da PSA deseja à Stellantis todo o êxito".

Caberá ao presidente executivo da PSA, Carlos Tavares, sentar-se ao volante da Stellantis. O português terá de organizar o grupo, à escala global, e direcioná-lo para uma tecnologia mais limpa.

"Estamos prontos para implementar estas sinergias e estamos prontos para iniciar este novo capítulo na história das nossas empresas. Gostaria de salientar que ambas as empresas foram capazes de executar os seus planos estratégicos no passado, pelo que não há razão para esperar que não sejam capazes de os executar no futuro", afirmou Carlos Tavares.

A nova aliança Stellantis terá no seu portefólio 14 marcas diferentes que além da Peugeot, da Citoën, da Fiat e da Chrysler, incluem a Maserati, a Alfa Romeo, a Opel, a Jeep, a Lancia, a Ram e a Dodge.