EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

O impacto do novo confinamento no Reino Unido

O impacto do novo confinamento no Reino Unido
Direitos de autor Matt Dunham/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Matt Dunham/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bloqueio apanhou escolas e empresas britânicas de surpresa.

PUBLICIDADE

Londres em confinamento, mais uma vez. As ruas do Reino Unido estão calmas depois das restrições que foram impostas de forma repentina. Boris Johnson fez o anúncio poucas horas depois de insistir que todas as escolas deviam reabrir normalmente depois das férias de Natal. Uma medida que levantou muitas críticas sobre a gestão da crise sanitária.

Quando existe conflito entre uma abordagem baseada em factos da comunidade científica e o populismo que se está a espalhar pelo corpo político europeu - principalmente aqui no Reino Unido, na Polónia, na Hungria e noutros locais onde, francamente, vão aceitar as partes que querem ouvir - para dizerem ao público o que ele pensam que querem ouvir. Literalmente, 24 horas antes do anúncio do confinamento na noite passada, Boris Johnson estava basicamente a sugerir que havia algo de (terrivelmente) errado connosco se não enviássemos os nossos filhos de volta à escola. E, um dia depois, as escolas estão fechadas.
ALISTAIR CAMPBELL
ex-diretor de comunicação de Tony Blair

A falta de aviso prévio apanhou as empresas de surpresa e algumas fazem contas aos prejuízos.

Fizemos estas encomendamos há uma semana para nos prepararmos para a abertura das escolas. Fizemos o pedido antes do Natal, mas à medida que o tempo passa, não sabemos o que está a acontecer com a COVID-19. Agora as escolas já não abrem novamente. Agora é preciso encontrar outro local para vender tudo.
Justin Denyer
Importador de frutas e vegetais

As escolas receberam kits de teste até ao último fim de semana para que continuassem abertas, apesar dos apelos dos sindicatos de professores para o encerramento das instituições de ensino. No entanto, o governo britânico foi obrigado a enfrentar os duros fatos científicos e a recuar em direção a um novo confinamento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mais de 250 mil pequenas empresas britânicas em risco de falência

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido