Última hora
This content is not available in your region

Um já está, falta o outro: Joe Biden a um lugar de controlar o Senado

euronews_icons_loading
Um já está, falta o outro: Joe Biden a um lugar de controlar o Senado
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Os democratas estão à beira de garantir o controlo do Senado dos Estados Unidos. Dois lugares estavam ainda em jogo esta semana, numa segunda volta na Geórgia das eleições de novembro, mas um está já decidido e a favor do presidente-eleito Joe Biden.

O outro lugar, disputado entre o democrata Jon Ossoff e o republicano David Perdue, no cargo há cinco anos, continua ainda demasiado renhido para ser declarado um vencedor.

Na corrida já decidida, o reverendo Raphael Warnock derrotou, por pouco mais de um por cento dos votos, Kelly Loeffler e é o primeiro senador afro-americano da história a representar a Geórgia no Congresso.

Warnock agradeceu a preferência dos eleitores.

Georgia, sinto-me honrado pela confiança demonstrada em mim e promete-vos: vou para o Senado trabalhar por toda a Geórgia, independentemente de em quem votaram nesta eleição, neste momento da história americana.
Raphael Warnock
Senador eleito pela Geórgia nos EUA

Confessa apoiante do presidente Donald Trump, que tem vindo a contestar os resultados das eleições de Novembro nos estados onde perdeu, Kelly Loeffler tornou-se senadora pela Georgia há exatamente um ano, após substituir Johnny Isakson, por motivos de saúde, mas nem aqueceu o lugar.

Na outra corrida em aberto, o derradeiro lugar de senador pela Georgia está a ser disputado entre o democrata Jon Ossoff e o republicano David Perdue, o detentor do assento desde 2015.

Apesar de a margem ainda ser demasiado curta para se declarar um vencedor, Ossof também já se assume vencedor.

Todos os que votaram, acreditaram e confiaram na nossa capacidade democrata para nos entregarem a representação que merecemos, estivessem a meu favor ou contra mim, eu vou ser o vosso representante no Senado dos Estados Unidos.

"Vou servir todas as pessoas deste estado. Vou dar tudo o que tenho para assegurar que os interesses da Georgia estarão representados no Senado.
Jon Ossoff
Candidato a senador dos EUA pela Geórgia

A corrida de Ossoff é com David Perdue, senador Republicano pela Georgia desde 2015, mandato que interrompeu antes do arranque dos trabalhos este ano no Congresso (3 de janeiro), por estar ainda envolvido na segunda volta eleitoral realizada esta terça-feira (6 de janeiro).

Às 02 horas da madrugada locais (07h da manhã, em Lisboa), a equipa de campanha de Perdue difundiu um comunicado a pedir "tempo e transparência" para garantir "justiça e precisão" aos resultados, prometendo mobilizar "todos os recursos legais" para garantir o devido escrutínio de "todos os votos legalmente depositados" nas urnas.

Perdue tem-se mantido fiel a Donald Trump, o ainda presidente, derrotado nas eleições de novembro, mas que tem vindo a liderar uma batalha pelo alegado "roubo" eleitoral dos democratas, do qual nunca apresentou provas.

Em caso de triunfos Democratas, os dois lugares dividem a câmara alta do Congresso em partes iguais, mas a consequente presidência do Senado por Kamala Harris garante a Joe Biden, o presidente eleito, um início de mandato praticamente sem oposição por parte dos republicanos.