Última hora
This content is not available in your region

África regista o maior número diário de mortes da segunda vaga

euronews_icons_loading
africa
africa   -   Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

O continente africano registou o maior número de mortes diário da segunda vaga da pandemia.

Nas últimas 24 horas morreram 1.030 pessoas infetadas com o coronavírus. Os últimos números oficiais indicam também 28.067 novas infeções.

A diretora da Organização Mundial da Saúde na região africana fala de uma "segunda vaga que terá começado em dezembro", e explica os números com o "cansaço provocado pelas restrições" e com os "comportamentos durante as festividades".

A União Africana garantiu, na semana passada, a chegada de 270 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus aos países africanos e admitiu estarem a decorrer "negociações" com a Rússia e com a China para garantir mais doses num futuro próximo.

A Organização Mundial da Saúde espera que 3 milhões de vacinas cheguem aos países africanos até março. Têm prioridade profissionais de saúde e grupos de risco.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infetados é de 3.365.095 e o de recuperados nos 55 Estados-membros da organização nas últimas 24 horas foi de 37.622, para um total de 2.784.501 desde o início da pandemia.

A África Austral continua como a região mais afetada, com 1.591.259 infetados e 43.111 mortos. Só a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, regista 1.380.807 casos e 39.501 mortes.

O Norte de África é a segunda zona mais afetada pela pandemia, com 1.047.100 infetados e 27.849 vítimas mortais. A África Oriental contabiliza 348.829 infeções e 6.600 mortos, enquanto na África Ocidental o número de infeções é de 294.737 e o de mortes ascende a 3.770. Na África Central, estão contabilizados 83.170 casos e 1.561 óbitos.

O Egito, que é o segundo país africano com mais vítimas mortais, a seguir à África do Sul, regista 8.801 mortes e 159.715 infetados, seguindo-se Marrocos, com 8.076 vítimas mortais e 463.706 infetados.

Entre os seis países mais afetados estão também a Tunísia, com 5.989 mortos e 190.884 infetados, a Argélia, com 2.853 óbitos e 104.749 casos, a Etiópia, com 2.057 vítimas mortais e 132.326 infeções, e o Quénia, com 1.739 óbitos e 99.630 infetados.

Em relação aos países de língua oficial portuguesa, Angola regista 448 óbitos e 19.177 casos de infeção, seguindo-se Moçambique (283 mortos e 30.225 casos), Cabo Verde (122 mortos e 13.307 casos), Guiné Equatorial (86 óbitos e 5.365 casos), Guiné-Bissau (45 mortos e 2.517 casos) e São Tomé e Príncipe (17 mortos e 1.171 casos de infeção).

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito, em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infeção, em 28 de fevereiro.

Outras fontes • Lusa, AFP