Última hora
This content is not available in your region

Europa confinada

euronews_icons_loading
Europa confinada
Direitos de autor  Christophe Ena/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Os Países Baixos apertam as restrições para impedir a propagação da variante britânica do novo coronavírus. O país impôs o primeiro recolher obrigatório desde a Segunda Guerra Mundial.

A partir de sábado, e até 09 de fevereiro, os holandeses ficam impedidos de sair de casa das 20h30 até às 04h30.

A medida foi proposta pelo Governo demissionário de Mark Rutte, obteve a aprovação da maioria do Parlamento, mas contou com a oposição de vários parlamentares, entre eles o líder da extrema-direita Geert Wilders, que a consideraram "desproporcionada".

A Assembleia Nacional da República Checa aprovou o prolongamento até ao dia 14 de fevereiro do Estado de emergência, que inclui um confinamento.

A sessão legislativa foi marcada por um incidente.

O deputado Lubomir Volny, depois ter ter vista a sua intervenção interrompida por se recusar a usar máscara, tentou ocupar a cadeira do presidente do Parlamento.

Em Portugal, o Governo de António Costa, cedeu à pressão da sociedade e anunciou o encerramento das creches, dos ATL, das escolas e universidades durante 15 dias, a partir desta sexta-feira.

O primeiro-ministro justificou o recuo com o forte crescimento do número de novos casos de Covid-19 no país, em parte causado pela nova estirpe do vírus.

A Hungria tornou-se no primeiro país da União Europeia a autorizar o uso da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela Rússia, a Sputnik V.

O Governo húngaro deu, ainda, luz verde à vacina desenvolvida pela farmacêutica anglo-sueca AstraZeneca e a Universidade de Oxford, que deve obter a autorização de Bruxelas já na próxima semana.