EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Biden considera Nord Stream 2 um "mau negócio" para a Europa

Biden considera Nord Stream 2 um "mau negócio" para a Europa
Direitos de autor Patrick Semansky/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Patrick Semansky/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Projeto polémico, prestes a concluir, enfrenta resistência dos EUA

PUBLICIDADE

Os trabalhos para concluir o gasoduto Nord Stream 2, entre a Rússia e a Alemanha, prosseguem, a par da polémica que envolve o ambicioso projeto que deverá duplicar o fornecimento de gás à União Europeia.

A porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, disse que para o presidente dos EUA, Joe Biden, este é "um mau negócio para a Europa." E acrescentou que as sanções aprovadas pelo Senado norte-americano contra empresas empresas envolvidas no projeto, de forma a deter o avanço do mesmo, não estão descartadas.

"A nossa posição sobre o Nord Stream 2 é muito clara e mantém-se inalterada. O presidente Biden deixou claro que se trata de um mau negócio. Porque divide a Europa, expõe a Ucrânia e a Europa Central à manipulação russa, e porque contraria os próprios objetivos da Europa em matéria de energia e segurança. Continuamos a monitorizar as atividades para completar e certificar o gasoduto. Se tal atividade acontecer, determinaremos uma posição sobre a aplicabilidade das sanções. É importante ressaltar que as sanções são apenas uma de entre muitas ferramentas importantes para garantir a segurança energética. Está claro que faremos tudo isso em parceria com nossos aliados e parceiros, mas nossa posição não mudou no negócio", sublinhou, em conferência de imprensa, Jen Psaki.

O chefe da diplomacia alemã, Heiko Maas, ressalvou, por outro lado, que trabalhar contra o projeto representaria o "isolamento económico completo da Rússia", que poderia voltar-se para a China, o que implicaria menos influência do Ocidente.

"Qualquer pessoa que questione o Nord Stream 2 - e pode-se certamente defender essa opinião - também deve considerar, pelo menos geoestrategicamente, que consequências é que isso terá e o que é que isso significa para a capacidade da Europa de influenciar a Rússia", lembrou Maas.

O Governo alemão lamenta a imposição de sanções.

De acordo com documentos revelados pela organização não-governamental Environmental Action Germany , o ministro alemão das Finanças terá, alegadamente, oferecido à administração Trump apoio de mil milhões de euros para a importação de gás natural liquefeito de forma a evitar a imposição de sanções por parte de Washington.

Alguns países, como a Polónia, consideram que o projeto irá aumentar a dependência energética europeia em relação à Rússia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy pede continuação do apoio militar aos governadores dos EUA

Tribunal russo ordena prisão da viúva de Alexei Navalny

"Ucrânia vai parar Putin", diz Biden na abertura da cimeira da NATO