Última hora
This content is not available in your region

Orbán vacinado com Sinopharm

euronews_icons_loading
Viktor Orbán anunciou nas redes sociais: "estou vacinado!"
Viktor Orbán anunciou nas redes sociais: "estou vacinado!"   -   Direitos de autor  Página oficial de Viktor Orbán no Facebook via AP
Tamanho do texto Aa Aa

A principal vacina desenvolvida nos laboratórios chineses ainda não foi aprovada pela Autoridade Europeia do Medicamento, mas na Hungria já começou a ser distribuída. Para manifestar confiança na Sinopharm, o primeiro-ministro Viktor Orbán fez-se vacinar com a substância à frente das câmaras.

Explicou depois numa mensagem gravada na residência oficial que foi decidido que os líderes da equipa de coordenação da resposta à Covid "deveriam ser vacinados". "Também chegou a minha vez. Tenho estado aqui no mosteiro e estou a trabalhar. Como vêem, não tenho problemas. Não tenham medo. A terceira vaga vai chegar e será mais forte do que as anteriores," declarou Orbán.

A Hungria é, até agora, o único país da União Europeia que adquiriu vacinas não validadas por Bruxelas, como o Sinopharm e a Sputnik V.

Os cidadãos húngaros podem recusar a vacina oferecida, mas ficam em lista de espera até que a substância que preferem esteja disponível.

De acordo com um inquérito realizado no final de janeiro, dos húngaros que dizem querer ser vacinados, 91% têm preferência pela Pfizer/BioNTech; 77% aceitam ser vacinados com a substância da Moderna, 35% com a Sputnik V e 27% com a Sinopharm.