Países da África Austral acertam estratégias comuns

Ministra dos Negócios Estrangeiros de Moçambique, Verónica Dlhovo, preside a conselho de ministros da SADC
Ministra dos Negócios Estrangeiros de Moçambique, Verónica Dlhovo, preside a conselho de ministros da SADC Direitos de autor SADC
De  Neusa SilvaJoão Peseiro Monteiro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os Estados-membro da Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) reuniram-se durante dois dias para acertar posições e implementar decisões nos mais diversos domínios, do litígio territorial entre Madagáscar e França à pandemia de Covid-19. Moçambique assegura a presidência rotativa.

PUBLICIDADE

A Comunidade de Desenvolvimento da África Austral (SADC) reiterou o apoio a Madagáscar no litígio com França. O país europeu mantém a posse de ilhas reclamadas pela nação insular o que, de acordo com a SADC, viola resoluções da Assembleia Geral da ONU e da União Africana.

A reunião do conselho de ministros da organização regional terminou este sábado e debateu igualmente o plano estratégico de combate à corrupção e financiamento do terrorismo, como explicou o chefe da diplomacia angolana, Téte António:

“A luta contra o terrorismo é uma luta que deve ser abrangente em termos de meios utilizados, porque o terrorismo utiliza-se de meios sofisticados, mas também de financiamento, e a corrupção em si tem que ser também atacada para que nós não reforcemos este mal que está a roer a região e que nos preocupa bastante”

A situação pandémica na região também esteve em análise. A adoção de normas para a harmonização do transporte transfronteiriço durante a pandemia foi uma recomendação saída do conselho de ministros. A maioria dos Estados-membros não as cumpre, o que tem um impacto negativo no processo de recuperação das respetivas economias.

“O que foi discutido aqui é a partilha justamente de dados, portanto a concatenação do trabalho dos laboratórios para aferir a veracidade dos resultados que os laboratórios acabam por emitir facilitando a circulação de pessoas e bens” - refere o secretário de Estado da Saúde Pública, Franco Mufinda, exemplificando com um dos muitos problemas relacionados com a covid-19.

Moçambique, que preside atualmente a Comunidade de Desenvolvimento da África Austral, viu aprovada a solicitação para albergar o Centro de Operações Humanitárias e de Emergência da SADC.

Nesta reunião, os restantes 15 Estados-membros manifestaram igualmente o apoio à candidatura de Moçambique a membro não-permanente do Conselho de Segurança da ONU para o mandato 2023-2024. Uma candidatura que de resto já conta com o apoio da União Africana.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Samuel Eto'o defende reciprocidade na proibição de africanos

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Vitória de Trump faria com que África (e o mundo) entrasse numa espiral de inferno climático