This content is not available in your region

Putin sugere encontro "online" com Biden

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Putin sugere encontro "online" com Biden
Direitos de autor  Alexander Zemlianichenko/Copyright 2011 The Associated Press. All rights reserved

Vladimir Putin está disponível para dialogar com Joe Biden a qualquer momento. A sugestão do presidente Russo surgiu no final de um concerto em Moscovo para assinalar a anexação da Crimeia e na sequência de o presidente norte-americano o ter qualificado de "assassino".

"Quero convidar o Presidente Biden para continuarmos as nossas discussões mas na condição de fazer isto ao vivo, online, sem qualquer atraso, através de uma discussão aberta e direta", disse Putin.

Um tom mais construtivo em relação ao usado na resposta inicial, quando fez referência a acontecimentos sangrentos da história dos Estados Unidos para qualificar Biden. "Nós sempre vemos na outra pessoa as nossas próprias característica e penso que ele é igual a nós", declarou.

Por seu lado, a porta-voz da Casa Branca confirmou que Biden não recua na afirmação de que Putin é um "assassino" mas revelou que também está aberto ao diálogo.

Os dois estão na cena global há muito tempo, trabalharam e interagiram na relação entre os Estados Unidos e a Rússia. E ele (Biden) acredita que é possível continuar a fazer isso
Jen Psaki
Porta-voz da Casa Branca

À pergunta de um jornalista sobre se "Presidente Biden arrepende-se ter chamado Putin de assassino", Jen Psaki respondeu de forma clara. "Não. O presidente responde de forma direta a uma pergunta direta". O presidente Biden conhece o Presidente Putin há muito tempo. Os dois estão na cena global há muito tempo, trabalharam e interagiram na relação entre os Estados Unidos e a Rússia. E ele acredita que é possível continuar a fazer isso", explicou a porta-voz da Casa Branca.

Entre os vários assuntos que a Rússia e os Estados Unidos têm de discutir, está por exemplo o novo formato do Tratado de Redução de Armas Estratégicas, estendido em fevereiro por mais cinco anos.