Última hora
This content is not available in your region

Sismo na lira e na bolsa de valores da Turquia

euronews_icons_loading
Sismo na lira e na bolsa de valores da Turquia
Direitos de autor  TRTRT   -   TRTRT
Tamanho do texto Aa Aa

A bolsa de valores da Turquia abriu esta segunda-feira em forte queda depois de a lira ter chegado a afundar-se 15% nos mercados internacionais no domingo à noite, na sequência do despedimento do governador do Banco Central, ordenado pelo Presidente Recep Tayyp Erdogan.

Nomeado em novembro, Naci Agbal implementava um aumento das taxas de juros para combater a alta taxa de inflação, acima dos 15%.

O ministro do Tesouro e das Finanças, Lütfi Elvan, reagiu de imediato para acalmar os mercados ao afirmar que o regime de livre comércio de divisas continua e que a Turquia vai manter políticas fiscais que sustentem a estabilidade dos preços de uma forma que complementem a política monetária.

As decisões de Ancara estarão ligadas à tentativa de sobrevivência política do governo, pelo menos na opinião de Ilke Toygür, analista do Instituto Alemão para os Assuntos Internacionais e Segurança.

"Qualquer medida política, interna ou externa, na Turquia é agora tomada para o governo se manter no poder. Assim, nunca se pode ter a certeza de que as políticas se manterão inalteradas, da noite para o dia, como aconteceu com a Convenção de Istambul e o afastamento do governador do Banco Central na sexta-feira à noite, já depois dos mercados estarem fechados", explicou.

Entra agora o leme do Banco Central Sahap Kavtxiolu, ex-banqueiro e deputado do partido AKP, que partilha a ideia do Presidente Erdogan, de que taxas de juro altas podem estimular a inflação. É a terceira pessoa a ocupar, de forma repentina, o cargo de governador do Banco Central da Turquia desde meados de 2019.