Última hora
This content is not available in your region

A visão da UE sobre o futuro da saúde

euronews_icons_loading
A visão da UE sobre o futuro da saúde
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Como é que a União Europeia encara a evolução dos cuidados de saúde no final da pandemia? Falámos com a Comissária Europeia para a Saúde, Stella Kyriakides.

euronews: "A Comissão Europeia e o Parlamento Europeu apoiam um novo pacote de financiamento de 5,1 mil milhões de euros chamado EU4Health que é apresentado como uma resposta de longo prazo à Covid 19. Quais são as prioridades da Comissão Europeia?"

Stella Kyriakides: "Vimos que os cidadãos querem que a União Europeia faça mais na área da saúde, e por isso apresentámos um programa ambicioso, o EU4Health, no valor de 5,1 mil milhões de euros. Os nossos objetivos são: apoiar a construção e aumentar a resiliência dos sistemas de saúde, fortalecer o mandato do Centro Europeu para Prevenção e Controlo de Doenças e da Agência Europeia de Medicamentos e reforçar certos aspetos, como o Plano Europeu de Combate ao Cancro e a nova estratégia farmacêutica".

euronews: "O programa EU4Health deposita muita esperança na tecnologia. É-nos pedido para partilhar dados entre países da UE e para aderirmos à saúde digital. Como é que garante que as pessoas vão confiar nesses sistemas e que eles serão bem usados?"

Stella Kyriakides: "A criação de um espaço europeu de dados de saúde foi sempre uma prioridade para esta Comissão. Trata-se de utilizar dados de saúde, de uma forma segura, protegendo esses dados, de forma a podermos aumentar o acesso aos serviços de saúde, cuidar melhor dos pacientes e otimizar a utilização de dados na área da saúde. O potencial da inteligência artificial é enorme. ”

"A saúde faz agora parte de todas as decisões políticas"

A euronews falou com três eurodeputados relatores ou relatores-sombra do programa EU4Health sobre a estratégia da UE na área da saúde. A eurodeputada portuguesa Sara Cerdas afirma que a saúde faz agora parte de todas as decisões políticas.

“Para cada lei, vamos tentar ver quais são as consequências diretas e indiretas para a saúde das populações. É algo extremamente importante. Graças a esta abordagem, vamos reduzir as desigualdades na saúde em toda a União Europeia", disse Sara Cerdas, deputada do Grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu.

A criação de um espaço digital seguro para partilhar dados de saúde entre países é uma parte fundamental da visão da União Europeia na área da saúde, de acordo com a eurodeputada francesa Véronique Trillet-Lenoir.

“Os dados médicos, os dados científicos devem poder ser compilados de forma massiva e analisados por meio da inteligência artificial para permitir que todas as pessoas beneficiem dos progressos da medicina de forma personalizada e isso aplica-se também no tratamento do cancro", disse à euronews Véronique Trillet-Lenoir.

Para o eurodeputado romeno Cristian-Silviu Busoi, um dos objetivos da UE é usar as tecnologias para reduzir as desigualdades.

“Alguém que está numa zona rural e que tem uma doença muito difícil, ou rara, poderia ter uma consulta com um professor de um grande hospital universitário através da telemedicina. Ele poderia até fazer intervenções com a ajuda da telemedicina, porque a inteligência artificial e a 5G vão mudar bastante as práticas da medicina no futuro", disse o eurodeputado romeno.