Última hora
This content is not available in your region

Pandemia leva cantores de ópera para as ruas de Berlim

De  euronews
euronews_icons_loading
Pandemia leva cantores de ópera para as ruas de Berlim
Direitos de autor  Michael Probst/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia deixou-os sem palco. Com os teatros, óperas e outras salas de espetáculo encerradas, estes cantores de ópera freelancers continuam a dar espetáculos nas ruas de Berlim.

"Esta troca de energias, esta comunicação é algo de que precisamos. Por isso, escolhemos esta profissão e sem isto não nos sentimos completos. Não somos inteiros como éramos antes", realça o barítono Florian.

O barítono e a meia soprano atuam semanalmente na Praça Germandenmarkt, em Berlim, e estão a receber ajuda financeira do Governo alemão para minimizar os impactos da pandemia, mas não é suficiente.

"Entrei em pânico. O que deve fazer agora? Não há esperança. Então, comecei a trabalhar num pequeno supermercado vegan perto da minha casa, o que foi uma experiência simpática também para ajudar neste sentido", diz Jennifer.

O trabalho trouxe-lhe mais segurança financeira, mas retirou-lhe energia para ensaiar e cantar. E em novembro teve Covid-19.

"Ainda tenho sintomas prolongados de Covid-19. De vez em quando, sinto-me exausta. Não consegui praticar desporto durante cinco meses e o meu coração estava sempre acelerado", conta a meia soprano.

No início do ano, durante um curto período de tempo, na Deutsche Oper houve espetáculos experimentais com um público reduzido e testado, mas o aumento do número de infeções na Alemanha deixou o projeto-piloto em stand-by.

"Para ser honesto, não ficamos felizes com isso, porque já tínhamos desenvolvido conceitos, incluindo um centro de testes que funcionava bem, aqui dentro. Foi desenvolvido para o projeto-piloto para que as pessoas que fossem testadas pudessem assistir aos espetáculos. Qual foi o resultado? Temos grandes filas - o que é claro que é muito bom - em frente ao centro de testes, mas as pessoas estão a fazer testes para ir ao cabeleireiro ou fazer compras. Por outro lado, é uma decisão compreensível com base na taxa de incidência", afirma o diretor da _Deutsche Ope_r, Dietmar Schwarz.

A _Deutsche Ope_r espera que o projeto-piloto recomece em maio, mas as instituições e os profissionais do setor da cultura ainda têm um longo caminho a percorrer enquanto a pandemia durar.