Junta militar liberta 23 mil presos

Junta militar liberta 23 mil presos
Direitos de autor AP/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Amnistia não deverá incluir membros do governo deposto a 1 de fevereiro

PUBLICIDADE

Ano novo budista birmanês assinalado com a libertação de milhares de presos. A Junta Militar, no poder em Myanmar desde o golpe de Estado de 1 de fevereiro, anunciou um indulto para 23 mil prisioneiros.

De acordo com a comunicação social local, pelo menos 800 sairam de uma prisão em Rangoon, a maior cidade do país. 2.800 foram libertados em cinco prisões na região de Mandalay.

Entre os libertados encontram-se alguns membros do grupo de teatro satírico Peacock Generation, detidos em 2019 por criticar os militares.

As amnistias são comuns no Ano Novo budista birmanês. Não há registo de que este perdão inclua os detidos desde a revolta militar, incluindo a líder do governo deposto e Nobel da Paz Aung San Suu Kyi.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novas acusações contra Aung San Suu Kyi

Manifestantes em Myanmar pintam ruas de vermelho pelo sangue derramado

Macron anuncia apoio de três mil milhões de euros à Ucrânia durante visita de Zelenskyy a Paris