EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

OMS aprova vacina chinesa

OMS aprova vacina chinesa
Direitos de autor DANIEL MIHAILESCU/AFP or licensors
Direitos de autor DANIEL MIHAILESCU/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Sinopharm é a primeira vacina chinesa a ser aprovada pela OMS e a sexta do conjunto de todas as vacinas contra a covid-19 homologadas pela organização.

PUBLICIDADE

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou o uso de emergência da vacina chinesa contra a Covid-19 Sinopharm, recomendada a pessoas com mais de 18 anos. É a primeira vacina chinesa a ser aprovada pela OMS, a sexta do conjunto de todas homologadas pela organização.

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral, fez o anúncio. "A OMS deu uma autorização de emergência para a vacina Covid-19 de Pequim, tornando-a na sexta vacina a receber a nossa validação em termos de segurança, eficácia e qualidade. Isto expande o número de vacinas que a COVAX pode comprar", declarou.

A Sinopharm já está a ser utilizada, por exemplo na Sérvia, onde várias unidades de vacinação móveis visam comunidades de difícil acesso e vulneráveis. Uma foi a aldeia de Vrelo perto de Ub na sexta-feira. O objetivo é proporcionar um acesso mais fácil à inoculação.

Uma "maratona de vacinação" de três dias foi lançada na sexta-feira na capital da Roménia, Bucareste, no quadro do programa de inoculação no país de mais de 19 milhões de pessoas. A chamada "maratona" realiza-se na Sala do Palácio da capital, e na Biblioteca Nacional, e até conta com uma atuação musical ao vivo de um violinista proeminente.

França continua tal como começou o processo de vacinação, abaixo do esperado. Apenas 24 % da população recebeu pelo menos uma dose, 10 por cento concluiu o processo, muito atrás de Israel e das Seicheles, os lideres na inoculação, com quase 70 % da população vacinada.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Drácula alia-se ao programa de vacinação da Roménia

Covid-19: Vários países tentam acelerar programas de vacinação

G7 apoia acesso universal às vacinas