Última hora
This content is not available in your region

2020 teve mais de um deslocado interno por segundo

euronews_icons_loading
2020 teve mais de um deslocado interno por segundo
Direitos de autor  AP Photo/Manu Fernandez   -   Manu Fernandez
Tamanho do texto Aa Aa

A cada segundo que passou o ano passado, mais de uma pessoa foi obrigada a deixar a sua casa para fugir de um conflito ou desastre natural. 2020 registou mais de 40 milhões de novos deslocados internos, o número mais alto em dez anos, sendo que no final do ano o total de pessoas a viver longe de casa era de 55 milhões, mais do dobro do total de refugiados, que se distinguem dos deslocados por terem atravessado a fronteira durante a fuga.

Os números foram revelados pelo relatório anual do Centro de Monitorização de Deslocados Internos. Alexandra Bilak, diretora da organização, não esconde a surpresa: "pensávamos que o início da pandemia se iria traduzir inevitavelmente numa queda dos números. As restrições ao movimento impediam as pessoas de se deslocar mas também limitavam o acesso às populações deslocadas e dificultavam a recolha de informação. Estas previsões acabaram por não se verificar."

Entre os novos deslocados internos, mais de 30 milhões fugiam de um desastre natural e algumas pessoas tiveram mesmo de o fazer mais do que uma vez ao longo do ano. Em 98% dos casos, a fúria da natureza manifestou-se através de fenómenos meteorológicos extremos.