Médicos pedem prudência no regresso ao desporto após covid-19

Um homem exercita-se de máscara num ginásio de Saarbruecken, Alemanha
Um homem exercita-se de máscara num ginásio de Saarbruecken, Alemanha Direitos de autor Oliver Dietze/dpa via AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sequelas da infeção podem dificultar a prática de exercício físico. Médicos recomendam uma avaliação física antes de doentes recuperados voltarem ao desporto intensivo.

PUBLICIDADE

Do lado de fora da piscina, Margarida Gomes só pensa em voltar a nadar. Aos 15 anos e um passado ligado à competição desportiva, tenta agora combater as sequelas deixadas pela covid-19.

A infeção levou-lhe a energia e a capacidade de praticar desporto, que agora procura recuperar com ajuda médica.

"Algum tempo depois de ter tido covid e de ter tido alta comecei a sentir-me cada vez mais cansada, até nas aulas de educação física, muito cansada simplesmente a subir e a descer as escadas, fico quase sem conseguir respirar", conta.

Antes de voltar à prática de exercício físico, é recomendada uma avaliação médica. Doentes com sequelas e problemas cardíacos devem ter cuidados redobrados.

Para a pneumologista Maria José Guimarães "a prática do exercício, sobretudo do exercício vigoroso, de alta intensidade não é muito segura pós-covid. Pelo menos deverá ser avaliado se o doente ficou com algum sintoma ou se ficou com algum tipo de cicatriz, ou lesão que possa vir a ter implicações na prática do exercício".

Até ao momento, não há estudos que permitam saber por que determinados sintomas se manifestam e afetam mais algumas pessoas após a infeção.

Perante a incerteza, a comunidade médica pede prudência, porque, depois da covid-19, quem corre por gosto pode mesmo cansar-se.

Outras fontes • RTP

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Certificados digitais Covid entram em vigor na UE

França abre pistas de dança à noite a partir de 9 de julho

Portugal prepara nova lei anti-tabaco