Vítimas de ensaios nucleares à espera de Macron

Vítimas de ensaios nucleares à espera de Macron
Direitos de autor AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Associações esperam que presidente francês confirme compensações

PUBLICIDADE

Em Papeete, capital da Polinésia Francesa, associações de vítimas dos testes nucleares realizados durante três décadas junto ao arquipélago esperam que Emmanuel Macron confirme as prometidas compensações pelos ensaios atómicos que ainda hoje, mais de vinte anos mais tarde, marcam o quotidiano da população.

O presidente da Associação 193, Père Auguste Uebe-Carlson, diz que "tal como [o presidente francês] reconheceu a colonização na Argélia como um crime, deve declarar que foi criminoso e uma forma de colonização ligada ao poder nuclear no Pacífico".

Outra ativista, Leonie Tetunu, considera que "um pedido de desculpas é suficiente, é enorme, porque pedir perdão é tudo".

Contrariamente à véspera, os membros da Associação 193 não puderam voltar a protestar este domingo, já que o acesso aos locais onde costumam manifestar-se em Papeete foi proibido com a chegada do presidente francês.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seis feridos graves e uma pessoa ainda em parte incerta após explosão em Paris

Português ferido no ataque à faca em Annecy está fora de perigo

Várias pessoas debaixo de escombros de prédio em Marselha