Última hora
This content is not available in your region

Embaixador do Paquistão na UE: "Cabe aos afegãos decidir"

Access to the comments Comentários
De  Anelise Borges  & euronews
euronews_icons_loading
Embaixador do Paquistão na União Europeia
Embaixador do Paquistão na União Europeia   -   Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O mundo inteiro tem acompanhado os acontecimentos fora de Cabul, onde o governo oficial entrou em colapso e o grupo militante agora está no controlo. Entre os muitos atores envolvidos na crise estão países vizinhos, como o Paquistão. A potência nuclear é há muito tempo acusada de apoiar e até financiar os Talibãs. Muitos acreditam que Islamabad tem a ganhar com o facto de o grupo militante controlar agora o Afeganistão.

A jornalista da Euronews, Anelise Lopes, perguntou ao embaixador do Paquistão para a União Europeia como viram o facto de os talibãs terem assumido o controlo do país. "Vamos ver como as coisas se desenrolam... Mas para nós o importante é a inclusão e deve caber ao povo afegão decidir que tipo de sistema e que tipo de país eles querem. O Afeganistão não merece mais guerra e não merece mais violência. As pessoas precisam de proteção, segurança e de desenvolvimento", respondeu Zaheer A Janjua, embaixador do Paquistão na União Europeia.

Anelise Borges: Neste momento, os afegãos não parecem ser capazes de decidir por si mesmos... o que é que o Paquistão está a fazer e o que é que pode fazer para ajudá-los e para ajudar a resolver a situação?

Zaheer A Janjua: Estamos a pedir a todos os lados que falem uns com os outros. Atualmente, temos uma delegação de políticos afegãos que se encontram em Islamabad. Neste momento estamos a falar com eles e, como eu disse, queremos uma organização inclusiva no Afeganistão. E apoiaremos qualquer processo representativo do povo e que inclua a todos.

O Paquistão está a trabalhar com a comunidade internacional para que sejam retirados de Cabul membros do corpo diplomático, membros de organizações internacionais, jornalistas e todos aqueles que desejem sair do Afeganistão. A nossa embaixada em Cabul está totalmente operacional e está a ajudar qualquer pessoa e todas aquelas que estão em contacto com eles.

AB: Muitas pessoas no Afeganistão responsabilizam o Paquistão pelo financiamento e até pelo armamento dos Talibãs. Qual é a sua resposta a isso?

ZAJ: Esta noção de que o Paquistão está a financiar e a apoiar os Talibãs é um equívoco. Como eu disse, não temos favoritos no Afeganistão. Os Talibãs são independentes. E absolutamente não apoiamos os talibãs nem os financiamos.