Última hora
This content is not available in your region

Bruxelas "receita" visitas as museus

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Bruxelas "receita" visitas as museus
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Nem todos os males têm remédio, mas há remédios alternativos que podem servir para atenuar alguns males.

Em Bruxelas, a vereadora da cultura e do turismo Delphine Houba quer adicionar às receitas médicas uma "visita gratuita ao museu." Houba está a trabalhar com um hospital local para melhorar a saúde mental de pessoas que sofrem de stress e ansiedade. Ao mesmo tempo, ajuda a revitalizar os museus, que a pandemia de Covid-19 deixou, igualmente, de rastos.

"Estamos habituados a ir ao médico e a obter remédios. A ideia, aqui, é considerar que a arte faz parte do processo de cura. Como disse Jean-Marie Gustave Le Clézio, vencedor do Prémio Nobel de Literatura, um dia poderemos perceber que não existe arte, mas apenas medicina. Eu acredito que a arte é muito boa para nossa saúde física e mental", sublinhou Delphine Houba, em entrevista à Euronews.

Nos próximos três meses, cinco museus - do universo da arte à moda - vão participar no projeto-piloto.

A historiadora Isabel Vermote, responsável pelo programa "Art & Care", dos museus Reais de Belas Artes de Bruxelas, vê com bons olhos a ideia, ainda que com cautela.

"A arte não é um medicamento. É muito mais complexo do que isso. Ir a um museu, olhar para alguns quadros e pensar que depois nos sentimos melhores: não acredito nisso. Mas acredito que a arte pode ser boa para o bem-estar. Se criarmos o contexto certo ou um ambiente excelente, o que quer dizer que as pessoas precisam sentir-se bem-vindas num museu", lembrou Vermote.

Isabel tem vindo a trabalhar, desde 2017, com profissionais de saúde para trazer doentes, toxicodependentes e pessoas vulneráveis ao museu. Acredita no poder terapêutico da arte, mas lembra que as pessoas têm de se sentir em casa: "Em primeiro lugar é preciso criar um ambiente seguro para apreciar a arte. Não vamos falar sobre as nossas doenças, apenas sobre a vida. Isso sim, essa é a beleza de um museu."

O sucesso desta terapia ainda está por comprovar. A ideia serve, pelo menos, de convite a sair de casa depois de meses de confinamento em toda a Europa.