EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Violência aumenta no afeganistão

Violência aumenta no afeganistão
Direitos de autor AFP
Direitos de autor AFP
De  Anelise Borges
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Talibãs não permitem cobertura jornalística das manifestações

PUBLICIDADE

O novo governo do Afeganistão começa o grande desafio de conseguir o apoio da comunidade internacional, no meio de protestos organizados nas principais cidades do país. Esta quarta-feira foi mais um dia de manifestações contra o regime talibã e a interferência do Paquistão. Em Cabul, uma pequena manifestação de mulheres foi interrompida por elementos do grupo jihadista

Os talibãs anunciaram ontem a formação de um governo interino, liderado por Mohammad Hasan Akhund, um dos fundadores do grupo que faz parte das listas de sanções da ONU. Outro nome que não convence o ocidente é Sirajuddin Haqqani, o novo ministro do Interior é procurado pelo FBI e considerada terrorista por Washington.

Nas redes sociais, o antigo presidente, Ashraf Ghani, pediu desculpas ao povo afegão “por não ter conseguido que a situação terminasse de forma diferente”.

A declaração de Ghani foi divulgada depois da União Europeia e os Estados Unidos criticarem o governo interino afegão, por não incluir mulheres e não cumprir as promessas de abertura do regime.

O ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, Heiko Maas, e o Secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, reuniram-se na Base Aérea Americana de Ramstein, para conversações sobre o Afeganistão

Antony Blinken garantiu o apoio do governo norte-americano aos afegãos mais vulneráveis.

Por seu lado, a China congratulou-se com a formação do governo interino afegão, uma medida que segundo Pequim terminou com "três semanas de anarquia" no Afeganistão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Atentado em mesquita faz, pelo menos, 55 mortos

Mulheres afegãs podem frequentar universidades

Três turistas espanhóis mortos a tiro no Afeganistão