Legislativas na Islândia devem resultar em fragmentação política

Legislativas na Islândia devem resultar em fragmentação política
Direitos de autor AP Photo
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As eleições deste sábado na Islândia podem causar instabilidade política, uma vez que as sondagens preveem uma fragmentação dos votos. Nove partidos podem ultrapassar a barreira dos 5% necessária para conquistar assentos no Parlamento islandês. O atual Governo resulta da coligação de três partidos.

PUBLICIDADE

As eleições deste sábado na Islândia podem causar instabilidade política, uma vez que as sondagens preveem uma fragmentação dos votos. Nove partidos podem ultrapassar a barreira de 5% necessária para conquistar assentos no Parlamento islandês. O atual Governo resulta da coligação de três partidos, liderada pela primeira-ministra Katrin Jakobsdottir.

“A questão principal agora é o que vamos fazer depois da Covid, porque obviamente temos enormes desafios para reconstruir a economia, fazê-lo de uma forma mais verde e sustentável, criando novos empregos e diversos e garantindo que a nova economia será diversificada e verde", afirmou a primeira-ministra islandesa, Katrin Jakobsdottir. 

O Partido da Independência tem o dobro das intenções de voto do que o Movimento Esquerda-Verdes da primeira-ministra.

"Esperamos mais apoio - isso estaria no limite mais baixo do nosso apoio histórico. Portanto, esperamos alcançar pelo menos o nível das últimas eleições, que foi de 25%", deseja o líder do Partido da Independência, Bjarni Benediktsson.

A formação de uma nova coligação para liderar a Islândia parece complicada pela fragmentação dos votos neste país pequeno, que tem apenas 370 mil habitantes.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Governo de coligação islandês mantém maioria parlamentar

Vulcão em atividade em Grindavick pode ter “atingindo um ponto de equilíbrio”

Vulcão na Islândia entra em erupção pela quarta vez em três meses