EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Crise migratória na fronteira húngara

Crise migratória na fronteira húngara
Direitos de autor Yousef Murad/Yousef Murad
Direitos de autor Yousef Murad/Yousef Murad
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dezenas de migrantes esperam na Sérvia para atravessar a fronteira para a Hungria. Budapeste aumenta vigilância nas fronteiras

PUBLICIDADE

A Hungria continua a braços com uma crise migratória. O Governo defende que as fronteiras externas da União Europeia devem ser defendidas contra a imigração ilegal e para isso ergue vedações e aumenta a vigilância.

Entretanto, quase uma centena de migrantes, provenientes de África e da Ásia, vivem em condições precárias numa pequena aldeia sérvia, a poucas centenas de metros da fronteira com a Hungria. Ficam aqui à espera de conseguirem atravessar para o bloco europeu.

São muitas as histórias que aqui se cruzam como, por exemplo, a de um antigo polícia afegão que teve de fugir da província onde vivia após a chegada dos talibãs.

É Mandi que nos conta a história. Este indiano é, frequentemente, o tradutor dos outros migrantes. Fala três línguas e deixou a Índia natal há cinco anos.

"O governo indiano matou muitos agricultores, talvez 700 pessoas", conta Mandi.

Aqui não estão só adultos, há também menores como Hassan, de 11 anos. Deixou a Síria há seis meses com o tio depois da morte dos pais...

Rafiola licenciou-se, recentemente, em engenharia elétrica na Universidade de Cabul, mas como não conseguiu emprego rumou à Europa. A viagem custou-lhe 2.000 euros e foi cheia de perigos.

"O mar era perigoso, porque o nosso navio foi naufragou e talvez 47 pessoas tenham desaparecido nas águas", recorda.

Com a vida em suspenso, estas pessoas, na sua maioria homens, sonham com a possibilidade de atravessar a fronteira e encontrar uma vida melhor na União Europeia...

As condições são bastante precárias, no entanto, têm vindo a melhorar, como relata o jornalista da euronews Zoltán Siposhegyi:

"Nos últimos anos, instalou-se água potável e eletricidade aqui, em Kárásztanya, perto da fronteira húngara. Isso é uma grande ajuda para aqueles que passam semanas, por vezes até meses aqui. Todos concordam que a fronteira húngara é uma das mais difíceis de atravessar, mas a polícia não prejudica ninguém que não resista."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Televisão pública húngara emite debate político pela primeira vez em 18 anos

Na Hungria, uma nova oposição liderada por Péter Magyar desafia Viktor Orbán

Opositor de Orbán mobiliza milhares em manifestação anti-governo