EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Segurança de Israel é prioridade para a Alemanha

Segurança de Israel é prioridade para a Alemanha
Direitos de autor İsrail Hükümeti Basın Ofisi (GPO)/Anadolu Ajansı
Direitos de autor İsrail Hükümeti Basın Ofisi (GPO)/Anadolu Ajansı
De  Nara Madeira com AP, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Chanceler alemã, Angela Merkel, diz que a segurança de Israel será sempre uma prioridade para "cada governo alemão".

PUBLICIDADE

A chanceler alemã, fez a sua última visita oficial a Israel. Angela Merkel chegou a Telavive no sábado à noite. Já este domingo a chefe do governo germânico afirmou que a segurança do Estado judaico será uma prioridade para "cada governo alemão".

Em conferência de imprensa, Merkel afirmou saber que "o antissemitismo também está a aumentar na Alemanha" mas frisou que deixou claro, uma vez mais, e "em nome de todo o governo federal", que também se defenderão, "resolutamente, contra todas as manifestações de antissemitismo", porque é preciso evitar que ele se expanda, para combatê-lo, a ele, e aos "ultrajes violentos".

Para o primeiro-ministro israelita a relação entre os dois países sai fortalecida pela liderança de Merkel. "Já não é apenas uma aliança, mas uma verdadeira amizade", afirmou Naftali Bennett. O chefe do executivo não poupou elogios a Merkel. Relembrou as "boas __relações entre Israel e a Alemanha", durante os seus mandatos, acrescentando que ela deixa "um legado de reconhecimento do Holocausto, compreendendo o passado difícil, juntamente com um compromisso e uma contribuição para a segurança do Estado de Israel. Recordaremos isso e a história recordá-la-á", afirmou o chefe do executivo israelita.

Merkel visitou Yad Vashem, o memorial do Holocausto em Jerusalém, mas não planeou um desvio a Ramallah, a sede da Autoridade Palestiniana. Isto apesar de a Alemanha continuar a ser favorável à solução de "dois Estados". Ainda assim, Merkel não deixa de ser criticada pelos ativistas dos Direitos Humanos por não ter uma voz, suficientemente, forte sobre a questão.

Outras fontes • ILGPO

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Aprovados Orçamentos do Estado de 2021 e de 2022 em Israel

Fim da era Merkel

Coluna de 120 carros faz manifestação pelos reféns em Israel