Última hora
This content is not available in your region

"Squid Game" com 111 milhões de espetadores

euronews_icons_loading
"Squid Game" com 111 milhões de espetadores
Direitos de autor  AP Photo
De  Euronews com AFP
Tamanho do texto Aa Aa

"Squid Game" estreou há menos de quatro semanas e já foi vista por 111 milhões de pessoas em todo o mundo. O argumentista, Hwang Dong-hyuk, criou um mundo em que pessoas com dívidas entram em jogos infantis para ganharem milhões de dólares. Se perderem, pagam com a vida.

Misturando alegoria social e violência extrema, a série apresenta personagens das classes mais marginalizadas da Coreia do Sul, incluindo um emigrante indiano e um desertor norte-coreano.

A interação dos passatempos das crianças, das consequências fatais e de um design luxuoso dos cenários, conquistou enormes audiências em todo o mundo, com a série a liderar as tabelas na Netflix em mais de 80 países, incluindo Portugal.

Antes, "Bridgerton", a série sobre intrigas sentimentais da sociedade britânica no início do século XIX, tinha sido vista por 82 milhões de contas nas quatro semanas que se seguiram ao seu lançamento, no final de Dezembro de 2019.

O fenómeno de "Squid Game" é mais uma prova da crescente influência da Coreia do Sul na cena cultural global, seguindo a sensação K-pop "BTS" e “Parasitas”, a Palma de Ouro em Cannes e o primeiro filme em língua não inglesa a ganhar o Óscar de Melhor Filme.

A “moda” coreana não deve ficar por aqui: em fevereiro, a Netflix anunciou um plano de investimento de 500 milhões de dólares (432 milhões de euros), só este ano, em séries e filmes produzidos na Coreia do Sul.