EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Mortes por Covid-19 sobem na Grã-Bretanha e na Rússia

Mortes por Covid-19 sobem na Grã-Bretanha e na Rússia
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Alexander Zemlianichenko/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Grã-Bretanha registou 223 mortes por Covid-19 em 24 horas; a Rússia registou mais de mil. A Irlanda abre bares e discotecas, mas mantém máscaras

PUBLICIDADE

Com 223 mortes por Covid 19 nas últimas 24 horas, o governo da Grã-Bretanha recusa ouvir falar em medidas de contingência.

O país regista os números de incidência da doença mais elevados desde março e conta já um total de 138 mil mortos desde o início da pandemia, a maior taxa de mortalidade na Europa a seguir à Rússia.

O governo de Moscovo não pensa em confinamentos, mas pondera implementar um período de alguns dias sem trabalho a partir de 30 de outubro, para tentar baixar os contágios. A Rússia voltou a registar um recorde diário de mais de mil mortos por Covid-19.

Georgy Arbolishvili, responsável pela UCI do Hospital n° 52 de Moscovo lamenta: "A maioria dos pacientes da UCI em estado grave não está vacinada. Causa desespero porque o curso grave da doença poderia ter sido muito facilmente evitado se a pessoa tivesse sido vacinada".

Enquanto na Rússia se luta contra a Covid, em Itália luta-se contra o passe sanitário exigido aos trabalhadores para prevenir os contágios, com manifestações em Trieste pelo quarto dia.

Na Irlanda, chegou finalmente a hora de abrir bares e discotecas, encerrados desde março de 2020, mas o governo desistiu da ideia de abolir todas as restrições. Mantém-se as máscaras e o distanciamento social.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Moscovo decide fechar economia para travar a Covid-19

Alemanha goleia Escócia no jogo inaugural do Euro 2024

Análise: navios russos enviados para Cuba são uma "demonstração de força" de Putin