Golpe militar no Sudão

Golpe militar no Sudão
Direitos de autor AP Capture d'écran
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Instabilidade no Sudão. Grupo militar não identificado prende primeiro-ministro e membros do Governo do país

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro interino do Sudão foi detido por um grupo militar não identificado, esta segunda-feira. De acordo com o Ministério da Informação do país, Abdallah Hamdok estará em prisão domiciliária assim como, pelo menos, quatro dos seus ministros e um membro do Conselho Soberano, que controla o Governo.

O chefe do Executivo terá sido obrigado a proferir um discurso de apoio a este "aparente golpe militar".

Segundo o Ministério da Informação é difícil obter dados fidedignos uma vez que a internet foi cortada, no Sudão, e os militares controlam as pontes.

O Partido Umma, o maior do país, descreveu a ação como uma tentativa de Golpe de Estado e apelou à população que saísse às ruas como sinal de repúdio.

A notícia chega quando os Estados Unidos da América manifestaram alarme sobre os recentes desenvolvimentos no país, numa transição para a democracia durante mais de dois anos depois do antigo autocrata Omar al-Bashir ter sido afastado do poder. O enviado especial dos EUA para o Corno de África, Jeffrey Feltman, disse que Washington ficou "profundamente alarmado" com as notícias da tomada do poder pelos militares.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Revolta contra golpe de estado alarga-se aos bancos

Nações Unidas e União Europeia condenam golpe militar

Ataque aéreo mata pelo menos 22 pessoas no Sudão