EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Licenças de pesca não calam descontentamento na Mancha

Protesto no Canal da Mancha
Protesto no Canal da Mancha Direitos de autor Rafael Yaghobzadeh/AP
Direitos de autor Rafael Yaghobzadeh/AP
De  Ricardo Figueira
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pescadores e armadores franceses ameaçam manter o bloqueio do porto de Calais, previsto para o dia 23.

PUBLICIDADE

O acordo encontrado entre França e o Reino Unido a respeito das pescas não é suficiente para uma boa parte dos pescadores e armadores que se têm manifestado, ao longo das últimas semanas, no Canal da Mancha, e que pretendem manter o bloqueio do porto de Calais previsto para o dia 23.

A negociações entre Paris e Londres resultaram em 83 novas licenças para que barcos franceses possam pescar em águas territoriais britânicas. Os armadores exigem negociações que os envolvam.

Diz Alain Laurenti, armador: "Queremos que os nossos amigos de Jersey, Guernsey, Normandia e Saint-Malo se ponham de acordo, em vez de se porem a dizer que este barco é da lista verde, o outro da lista vermelha e aqueloutro da lista azul. Há uma quota de licenças que queremos obter, não queremos que haja um ou dois barcos a ficarem de fora porque alguém decidiu pô-los na lista vermelha".

Loïc Escoffier, também armador, acrescenta: "Estamos fartos. No dia 23 de dezembro, faz um ano que nos disseram para esperar, porque havia soluções a caminho, que as coisas estavam a avançar e, no final, não há nada".

A 23 de dezembro, faz um ano que nos disseram para esperar.
Loïc Escoffier
armador

O governo francês prometeu ajudar os pescadores que não conseguiram obter a desejada licença e se viram impedidos de entrar nas águas britânicas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Criança de 7 anos morre em naufrágio de barco com migrantes que tentava atravessar Canal da Mancha

Mortes de migrantes no Canal da Mancha levantam questões em Londres e Paris

Ligações ferroviárias Eurostar de volta à normalidade